SERÁ QUE A INFÂNCIA ACABOU??

on

Li numa matéria do jornal O Globo de sexta-feira uma reportagem sobre um menino chamado Caio, que veio de Juiz de Fora, e que foi descoberto nas peneiras do Roma, agora, está na capital italiana para se adaptar. E ainda por cima, já estão treinando o garoto como zagueiro.Tudo podia ser normal se você pensasse assim:"Ah, mais um adolescente no exterior..", mas o garoto em questão tem apenas 9 anos!!!!

Há uns 3 anos atrás, vi na televisão uma matéria sobre um garoto, que na época tinha a mesma idade do Caio, o menino era um fenômeno com a bola nos pés, ele jogava na ADAP, do Paraná, e tinha até vídeos na Internet, que os pais o filmavam, isso tudo fez com que olheiros do Manchester United se interessassem por ele e o garoto acabou indo por exterior com a família. Mas como ele não conseguiu se adaptar, voltou ao Brasil e hoje está nas categorias de base do Santos.

Isso é assustador e a família desses garotos também têm culpa nisso na ânsia de sair da miséria, ganhar dinheiro mais facilmente (No caso do Caio, a família dele vive bem, já que a peneira na Roma custa 1300 reais), os meninos são pressionados desde cedo, mesmo quando a partida em questão é apenas uma birncadeiras entre amiguinhos. Já vi várias vezes em partidas de brincadeira, pais histéricos gritando:-"Pra cima dele!!" "-Ele é fraco, rouba a bola dele!!!". Pior, quando o menino não joga bem e o pai esclerosado fica gritando coisas horríveis.O menino pode até ser habilidoso, mas os pais não devem pressioná-los, talvez ele nem queira ser jogador de futebol.

Infelizmente, vemos meninos saindo para jogarem no exterior, cada vez mais jovens, daqui a pouco vão contratar o menino direto da barriga da mãe, nasceu o garoto, fez exame para ver se ele terá alguma habilidade esportiva no futuro e lá vai o bebê pra Europa. E não exagero, daqui a uns anos, você verá uma Copa do Mundo com mais jogadores brasileiros jogando em outros países do que na própria Seleção Brasileira, tudo isso por causa da saída desses jogadores cada vez mais jovens, e com isso conseguem a vantegem de se naturalizarem mais rapidamente.

Na última Copa já tivemos um exemplo disso:tivemos o Kuranii jogando pela Alemanha, o Francileudo e o Clayton, pela Tunísia, o Zinha, pelo México e Marcos Senna, pela Espanha.

Deixem os meninos aproiveitarem a sua infância, eles são crianças, isso, crianças, criança não é pequeno adulto, criança não tem obrigações a não ser estudar e brincar. Isso não serve apenas para o futebol, para outros esportes também.

2 comentários:

Ikki disse...

Correção: o Kuranyi nao jogou na Copa de 2005 por estar lesionado...

Maldita Futebol Clube disse...

Uma pena, caros amigos...mas a globalização capitalizada no mundo do futebol aliada a uma legislação fraca e onipotente que tyira dos clubes o passe e auma política social de pão e circo, onde o pobre recebe pra não trabalhar(obolsa família), dá nisso um povo subjugado como colônia que depende da metropóle para poder consumir e pagar caro pela matéria prima jogador de futebol, abundante nesse país e com mais oferta do que demanda,por isso tb paga-se tão pouco por aqui, e aí perderemos futuros craques de bola por conta desses absurdos que estão aí expostos!