"PASTA" ESTRAGADA

on Comments: (0)

Desde 1974 a seleção italiana não passava por um vexame como o de hoje. A toda poderosa "Squadra Azzurra", tetracampeã mundial em 2006 se despediu de maneira melancólica e ridícula após perder para a Eslováquia por 3X2.

A "Squadra" passa por um momento de reciclagem de jogadores em sua seleção. Logo após a conquista do tetra em 2006, a Federação Italiana contratou o jovem treinador Roberto Donadonni, que havia feito bons trabalhos como técnico em times da Série A italiana, para o cargo de treinador.

Donadonni ficou quase dois anos no cargo, colecionou pouquíssimas vitórias, tentou revitalizar a seleção com alguns nomes como Iaquinta, Quagliarella, Montollivo...entre outros. Caiu nas quartas de final da Eurocopa de 2008 nos pênaltis contra a Espanha. Após esse episódio acabou demitido.

Não sei se foi por falta de opção, mas a Federação resolveu voltar com o Lippi e o treinador experiente resolveu manter boa parte do grupo de 2006, que já passava dos 30 anos de idade. Uma das médias de idade mais alta da Copa. O calvário começou com um empate com o Paraguai em 1X1 com direito a Buffon deixar o campo com dores no nervo ciático no intervalo. A vergonha maior foi num empate com a Nova Zelândia também em 1X1.

O jogo de hoje mostrou o quão fraco e incapacitado é esse grupo montado por Lippi. Conseguiu a proeza de perder para a Eslováquia por 3X2, sem desmerecer o time do Leste Europeu. Mas os italianos se comportaram como uma seleção estreante, enquanto os eslovacos jogaram como se eles tivesses quatro títulos mundiais.

Merecida a classificação da Eslováquia, que logo na primeira Copa que participa, passa para as oitavas de final. Para os italianos resta refletir sobre essa vergonha feita no continente africano e lembrar que nem sempre a camisa ganha jogo.

SESSÃO MEMÓRIA: HÁ 40 ANOS, 90 MILHÕES EM AÇÃO

on Comments: (0)


Há exatos quarenta anos, o Brasil festejava o seu tri campeonato mundial de futebol, disputado no México. Foi uma conquista muito comemorada tanto por brasileiros quanto por mexicanos também, mas essa caminhada não foi tão fácil como muitos imaginavam.

A seleção brasileira vinha de um verdadeiro vexame da Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra. Para tentar conquistar o tri na terra dos Beatles, Vicente Feola convocou mais de 40 jogadores, sendo que um deles foi convocado erroneamente (Ditão do Flamengo foi convocado por engano como se fosse o Ditão do Corinthians). O resultado foi um fiasco, deixando o Brasil de fora na primeira fase.

Entre 1966 e 1969 a seleção brasileira passou por uma entressafra de jogadores, a geração bi-campeã do mundo em 58 e 62 já estava envelhecida. Os poucos jogadores que se salvaram do fracasso de 1966 foram aproveitados para atuar na seleção.


O jornalista João Saldanha assumiu o comando técnico da seleção brasileira. Ex-treinador do Botafogo, de temperamento explosivo e simpatizante do extinto Partido Comunista ele era visto com desconfiança pelos generais. Com Saldanha o Brasil fez um grande campanha nas Eliminatórias Sul-Americanas. As chamadas "Feras de Saldanha" derrubaram as seleções da Colômbia, Venezuela e Paraguai. Quase sempre por goleadas. O jogo que garantiu a vaga do Brasil na Copa do Mundo foi uma vitória por 1X0 sobre o Paraguai no Maracanã com um gol de Pelé.


Logo após a clasisficação, os conflitos entre o treinador e os jogadores cresceram. Saldanha dizia aos quatro ventos que Pelé estava ficando cego, que Gérson era covarde e que Tostão não tinha condições de jogar profissionalmente, pois havia recebido uma bolada no olho, que causou descolamento de retina, jogando pelo Cruzeiro. Além disso chegou a desafiar o presidente do Brasil o general Emílio Garratzazu Médici em não convocar Dario, jogador do Atlético Mineiro, o preferido do presidente. Nessa ocasião ele disse a seguinte frase:"Eu não me meto no seu Ministério, então o senhor não se meta no meu time.".


Após essa polêmica, João Saldanha foi demitido. Para o seu lugar, Zagallo, foi convidado pra substituí-lo. Antes de treinar a seleção, o Velho Lobo havia treinado o Botafogo e conquistado o Campeonato Carioca de 1968 e a Taça Brasil do mesmo ano. Coincidência ou não, na convocação oficial para a Copa, o nome de Dario apareceu na relação. E a seleção embarcou às pressas para o México para poderem se aclimatar à altitude.


No grupo de Zagallo, dizia a lenda que ele tinha cinco camisas 10 do meio campo pra frente. Mas isso não era verdade: Pelé era 10 no Santos, Rivellino era 10 no Corinthians, Gérson era 10 no São Paulo e Jairzinho era 10 no Botafogo. Tostão, que seria o 10 do Cruzeiro, na verdade usava a camisa oito.


O Brasil pegou um grupo considerado por muitos o mais difícil da Copa. Ficou no Grupo 3 junto com a Tchecoeslováquia, vice-campeã de 62, e ainda uma seleção fortíssma. Inglaterra, campeã mundial de 1966, que manteve praticamente o mesmo grupo. E a Romênia, que era o adversário mais fraco do grupo.

A estreia brasileira foi no 3 de junho no Estádio Jalisco, em Guadalajara. O adversário era a Tchecoeslováquia. Logo aos 12 minutos Petras, o camisa oito da seleção tchecoeslovaca marcou o gol e ao comemorar fez o sinal da cruz, meio errado. O empate brasileiro veio de uma patada de Rivellino numa cobrança de falta. A virada foi com um belo gol de Pelé. Os terceiro e quarto gols foram marcados por Jairzinho. Um lance antológico desta partida foi um chute de Pelé do meio do campo o goleiro tcheco Victor correu desesperado atrás da bola, que por sorte dele foi para fora. Brasil 4X1 Tchecoeslováquia.

A partida seguinte foi contra a Inglaterra, atual campeã. Dia 7 de junho, no mesmo estádio Jalisco. Foi uma partida extremamente dura. O grande momento do jogo foi a defesa impressionante de Gordon Banks de um cabeçada de Pelé. O gol foi resultado de uma bela jogada entre Tostão e Jairzinho, que marcou para os brasileiros, que se garantiram na segunda fase da Copa após essa vitória.

Encerrando a primeira fase, foi a vez de enfrentarem a Romênia. Já classificados para as quartas de final, Zagallo tirou alguns titulares do time para poupar. O jogo foi no dia 10 de junho e o estádio Jalisco novamente foi o palco. Sem os seus principais jogadores, o Brasil teve alguma dificuldade com os romenos. Aos 20, Pelé fez o primeiro gol brasileiro. Dois minutos depois, foi a vez de Jairzinho ampliar a vantagem. Aos 33 o romeno Dumitrache diminuiu. No segundo tempo, Pelé marcou o terceiro gol. Fechando o placar, Dembrowsky fez o segundo gol da Romênia aos 37 da segunda etapa.

Nas quartas de final o Brasil enfrentou a seleção do Peru, que era treinada por Didi, que havia sido bi-campeão do mundo como jogador pelo Brasil em 58 e 62. A data foi dia 14 de junho, estádio Jalisco. O Brasil venceu os peruanos por 4X2, que não eram uma seleção tão fraca. Eles contava com o ídolo Cubillas e Gallardo, que atuou pelo Palmeiras nos anos 60. O Brasil marcou primeiro aos 11 minutos com Rivellino. Tostão fez o segundo quatro minutos depois, dobrando a vantagem brasileira. Gallardo diminuiu para os peruanos aos 28. No segundo tempo, Tostão marcou o terceiro para o Brasil, aos 13. Cubillas fez o segundo aos 25. Aos 30 do segundo tempo, Jairzinho fechou a contagem para o Brasil e nos classiifcou para as semifinais.

Dia 17 de junho de 1970: Brasil e Uruguai, vinte anos depois voltam a se enfrentar em um partida de Copa do Mundo. No lado brasileiro a tensão do fantasma de 1950, a imprensa brasileira fazendo alarde da final perdida no Maracanã, só que a maioria dos jogadores do Brasil eram muito pequenos em 1950. Aos 19 de partida, Cubilla abriu o placar para a Celeste, após falha da defesa brasileira. Ele fez o gol meio de canela, deixando o fantasma de 50 assombrar o Brasil durante alguns minutos. Apenas no final do primeiro tempo os brasileiros se acalmaram com um gol de Clodoaldo.Jarizinho marcou o gol da virada brasileira no segundo tempo. E fechando a partida, Rivellino fez o terceiro.

Os pontos mais marcantes do jogo foram os lances fantásticos de Pelé sobre o goleiro uruguaio Mazuckievski. Em um deles, Pelé deu uma "meia lua" no goleiro celeste, e a bola saiu para fora. O outro lance foi uma cobrança de tiro de meta de Mazuckievski e Pelé de primeira chutou pro gol, prontamente defendida pelo goleiro.


Dia 21 de junho de 1970, estádio Azteca, Cidade do México. É chegado o dia da grande final entre Brasil X Itália. Os dois bi-campeões mundiais que se enfrentaram também pela posse definitiva da Taça Jules Rimet. A seleção italiana havia sido campeã europeia dois anos antes, em 1968. A base do time era a do Cagliari, time campeão italiano na temporada 1969/70. Mas a Azzurra estava cansada após um jogo difícil contra a Alemanha nas semifinais que terminou em 4X3 para os italianos com direito a prorrogação.


Logo aos 18 minutos, Pelé recebeu a bola de Rivellino na área numa cabeçada perfeita, abriu o placar para o Brasil.O empate italiano surgiu depois de uma falha de Clodoaldo, Bonisegna roubou a bola do meia brasileiro, passou pelo goleiro Félix e fez 1X1. Aos 20 minutos do segundo tempo, Jarizinho marcou o segundo gol para o Brasil. Aos 25, foi a vez de Gerson fazer o terceiro. Aos 41 do segundo tempo numa jogada de pé em pé, após passe magistral de Pelé, Carlos Alberto fuzilou para fazer o quarto gol e garantir o tri. Carlos Alberto Torres recebeu a taça a beijou e levantou para o delírio dos brasileiros e mexicanos, que invadiram o campo após o apito final.

Os 22 tricampeões do mundo:Félix (Fluminense), Ado (Corinthians), Leão (Palmeiras), Brito (Flamengo), Roberto Miranda (Botafogo), Piazza (Cruzeiro), Carlos Alberto (Santos), Clodoaldo (Santos), Baldocchi (Palmeiras), Fontana (Cruzeiro), Marco Antônio (Fluminense), Everaldo (Grêmio), Jairzinho (Botafogo), Gérson (São Paulo), Tostão (Cruzeiro), Pelé (Santos), Rivellino (Corinthians), Joel (Santos), Paulo Cezar Caju (Botafogo), Edu (Santos), Dario (Atlético Mineiro) e Zé Maria (Portuguesa)

Brasil Tri-Campeão Mundial 1970
Em pé:Carlos Alberto, Félix, Brito, Piazza, Clodoaldo e Everaldo
Agachados: Jairzinho, Gerson, Tostão, Pelé e Rivelino
Técnico:Zagallo

Show de tango na África do Sul

on Comments: (1)


A Argentina confirmou por que é considerada uma das favoritas ao título da Copa do Mundo de 2010. A seleção portenha goleou a Coreia do Sul pelo placar de 4X1 e ainda colocou Higuaín na artilharia da Copa com três gols.

O primeiro gol argentino partiu de uma cobrança de falta cruzada na área coreana. Chu-Young marcou contra o próprio patrimônio. A partir dos 33 minutos, brilhou a estrela de Higuaín, que fez o segundo gol para a seleção de Diego Maradona. Nos acréscimos do primeiro tempo, a Coreia dimunuiu com Chung Yong.

Na segunda etapa, novamente Higuaín acabou com o time coreano. Aos 31, após a entrada de Sérgio Aguero, ele fez o terceiro. Aos 35, o mesmo Higuaín transformou o placar em goleada e assumiu a liderança na tabela de artilheiros do Mundial. Final: Argentina 4X1 Coreia do Sul

No outro jogo do Grupo B Grécia e Nigéria se enfrentaram. A seleção grega venceu pela primeira vez em Copas do Mundo, o placar foi 2X1.

Mas quem marco primeiro foi a Nigéria com Uche aos 15 minutos. Os gregos empataram aos 44 com Salpingidis, marcando o primeiro gol da Grécia em Copas do Mundo. A virada aconteceu aos 26 do segundo tempo com Torosidis, após falha do goleiro Enyeama.

Abrindo a segunda rodada da Copa o Uruguai derrotou a África do Sul por 3X0 na tarde desta quarta-feira.

Com grande atuação de Diego Forlán, que marcou dois gols, um deles de pênalti, a Celeste está a passos largos das oitavas de final, o que não acontece há 20 anos.

Jugamos como nunca, perdimos como siempre

on Comments: (1)

Pintou a primeira zebra da Copa do Mundo. Numa partida onde todos apontavam a Espanha como favorita, a Suiça distrubuiu chocolates aos espanhóis ao derrotá-los por 1X0.

Apesar da Espanha ter ficado com a posse de bola na maior parte do jogo, o gol suíço originou de um erro da defesa espanhola e do oportunismo do caboverdiano Gelson Fernandes que fez o gol da vitória da Suíça.

Ao final do jogo, o árbitro deu mais cinco minutos de acréscimo, e a Fúria por mais que tentasse chegar ao gol, esbarrava na forte defesa suíça. Após o apito final o velho lema espanhol voltou a fazer parte do cotidiano da seleção: Jogamos como nunca, perdemos como sempre".

No jogo de abertura do Grupo H, o Chile derrotou a seleção de Honduras por 1X0.Os chilenos voltaram a vencer um jogo de Copa do Mundo depois de 48 anos, quando sediaram o Mundial e terminaram em terceiro lugar.

O gol da seleção "Roja" foi marcado por Beausejour, após cruzamento rasteiro na área hondurenha. Mesmo assim, o Chile teve várias oportunidades de marcar mais um gol para matar a partida, mas no fim do jogo Mark González perdeu um gol feito.

Na tarde de terça-feira o Brasil mesmo jogando mal venceu a fraca Coreia do Norte por 2X1.

Os gols brasileiros foram marcados por Maicon e Elano. Mas se quiser mesmo levantar o hexa, o Brasil precisa jogar melhor, pois a defesa apresentou várias falhas, deixando os atacantes coreanos muitas vezes livres.

Dia de empates...

on Comments: (0)


Foi como previsto, Portugal e Costa do Marfim não saíram do 0X0 em Porto Elizabeth.

A seleção portuguesa sofreu um bocado com a forte marcação marfinense, onde o time inteiro ficava no campo de defesa, esperando os portugueses se projetarem ao ataque.

O destaque da partida foi o chute forte de Cristiano Ronaldo de fora da área q acabou batendo na trave. Didier Drogba com o braço em recuperação entrou no segundo tempo, chegando a dar mais movimentação ao time africano.

O jogo terminou sem a bola entrar nas redes e deixando as equipes com um ponto cada.

Na manhã desta terça-feira teve a partida entre Nova Zelândia e Eslováquia, que terminou empatada em 1X1.

Os eslovacos foram o tempo inteiro, fizeram boas jogadas de ataque sobre a frágil defesa neo zelandesa. Sestak marcou de cabeça o gol da Eslováquia aos cinco do segundo tempo em clara posição de impedimento. Nos acréscimos o zagueiro Reid fez o gol de empate dos "All White".

Na tarde desta segunda-feira Itália e Paraguai ficaram empatados em 1X1 debaixo de forte chuva na Cidade do Cabo.

Os paraguaios abriram o placar com um gol de cabeça de Alcaraz após cobrança de falta na entrada da área italiana aos 39 do primeiro tempo. No intervalo o goleiro italiano Buffon saiu com dores para a entrada de Marchetti. Aos 17 da segunda etapa, De Rossi salvou a Itália de uma derrota.

Cacau comanda o chocolate alemão, Holanda e Japão vencem na estreia

on Comments: (0)

Foi a melhor partida desta Copa do Mundo até agora. A Alemanha goleou a Austrália pelo placar de 4X0, fechado as partidas de domingo.

Os alemães desde o início foram pra cima da envelhecida seleção australiana, cuja maioria dos jogadores têm mais de 30 anos. Prevaleceu a juventude alemã dando um show de bola.

Aos oito minutos, o polonês naturalizado alemão Lucas Podolski marcou um golaço de fora da área abrindo o placar para os tricampeões. Aos 26, outro polonês, Klose, depois de desperdiçar uma chance claríssima, fez um belo gol de cabeça.

No segundo tempo, Müller aumentou a vantagem alemã. E dois minutos depois, o brasileiro Cacau, que havia acabado de entrar marcou o seu primeiro gol em Copas do Mundo.

Holanda e Dinamarca também fizeram um bom jogo, abrindo o quarto dia de jogos da Copa.

Mesmo sem serem brilhantes, os holandeses derrotaram os dinamarqueses por 2X0.O primeiro gol contou com a ajuda do zagueiro da Dinamarca, Polen no primeiro minuto do segndo tempo. O segndo gol foi marcado por Kuyt aos 39 do segundo tempo, após a bola bater no pé da trave e sobrar para ele.

O Japão estreou vencendo a esforçada seleção de Camarões por 1X0. Diferente dos dois jogos anteriores, foi uma partida chata de se ver, onde Eto'o foi a grande decepção.

O gol japonês foi marcado por Honda aos 39 minutos do segundo tempo.

Hoja às 15h30 Itália e Paraguai se enfrentam para abrir o Grupo F.

Ingleses jantam frango e Gana vence pela primeira vez

on Comments: (0)


Nessa Copa de baixíssima média de gols até agora, o jogo que marcou essa rodada foi o empate entre Inglaterra e Estados Unidos, reeditando o duelo de 1950, quando a seleção norte-americana derrotou os ingleses em 1X0.

O English Team começou avassalador, com um gol de Gerrard aos 4 minutos, após bela troca de passes na área americana.

No final do primeiro tempo um chute despretencioso de Dempsey garantiu o empate para a seleção do Tio Sam. O goleiro inglês Green engoliu um frango histórico, devia estar enjoado de tanto peixe com fritas.

A partida que abriu os jogos deste domingo foi de dar pena. Argélia e Eslovênia protagonizaram um "espetáculo dantesco".

As duas seleções com nível técnico lamentável dificilmente chegavam ao gol, foi preciso do goleiro argelino Chaouchi levar um gol fácil para animar a torcida eslovena. O grande destaque do jogo foi a expulsão do jogador Ghezzal, da Argélia, que jogou 15 minutos no segundo tempo. A Eslovênia assumiu a liderança do Grupo B com três pontos

A seleção de Gana foi a primeira seleção africana a vencer um jogo nesta Copa. Foi mais um jogo difícil de se ver, pois sérvios e ganeses se atrapalharam com a bola o tempo todo.

O gol ganês foi marcado de pênalti por Asamoah Gyan aos 40 do segundo tempo.

Argentina vence, Coreia surpreende, França e Uruguai decepcionam

on Comments: (0)

A seleção argentina fez uma boa estreia fechando a primeira rodada do Grupo B ao bater a Nigéria pelo placar de 1X0 no estádio Ellis Park.

Aos seis minutos do primeiro tempo, após cobrança de falta de Verón pela direita, o zagueiro Heinze cabeceou forte e marcou o gol da vitória dos argentinos.O destaque do jogo foi o goleiro nigeriano Enyema, que evitou uma goleada do time de Diego Maradona.

Na partida de abertura do Grupo B, a Coreia do Sul derrotou uma fraquíssima Grécia pelo placar de 2X0. Os coreanos são os líderes da chave com três pontos, junto com a Argentina, mas os asiáticos têm um gol a mais.

No último jogo de ontem, Uruguai e França se enfrentaram para fechar a primeira rodada do Grupo A. Foi uma partida bastante sem graça onde a bola sofreu e o público também, pela falta de gols. O único ponto relevante foi a primeira expulsão da Copa de 2010. O atacante Lodeiro entrou no segundo tempo e ficou apenas 14 minutos em campo, depois acabou recebendo o cartão vermelho.

Boa estreia com empate entre mexicanos e sul-africanos

on Comments: (0)


A Copa do Mundo de 2010 começou com uma grande festa no Soccer City em Joanesburgo. Teve direito até a discurso do presidente da FIFA, Joseph Blatter e do presidente da África do Sul, Jacob Zuma.

Em campo se enfrentaram África do Sul e México pelo jogo inaugural da Copa. Foi uma partida muito disputada, que teve em grande parte do tempo posse de bola dos mexicanos, mas a incompetência na finalização deixava o placar inalterado no primeiro tempo.

No início do segundo tempo, os sul-africanos tocaram mais na bola. Aos 10, contra ataque mortal do time de Parreira. Tshabalala entrou sozinho na área a abriu o placar para os Bafana-Bafana. Euforia no estádio e em todo o país. A África do Sul marcara o gol de uma jogada de contra-ataque, que fora a grande arma dos mexicanos no primeiro tempo.

Aos 34, após bate-rebate na área da África do Sul, o mexicano Rafa Márquez recebeu a sobra e chutou sem chances para o goleiro sul africano. Depois desse gol, aos 40 os Bafana perderam um gol feito após contra ataque, Mphela chutou a bola na trave, tendo apenas o goleiro a sua frente.

Blogosfera na África 2010: Grupo H-Chile

on Comments: (1)


Fechamos o nosso quadro "Blogosfera na África 2010" com a seleção do Chile, a trigésima segunda seleção da Copa. O país dos vinhos, no Monte Aconcágua, o país mais estreito do mundo.

O Chile estreou na Copa do Mundo de 1930, no Uruguai, onde ficou com o quinto lugar. Os chilenos ficaram de fora dos dois Mundiais seguintes, só voltariam em 1950, no Brasil. No Mundial do Brasil, La Roja caiu na primeira fase com duas derrotas para a Inglaterra e para a Espanha e uma vitória sobre os Estados Unidos.

Os chilenos precisaram de 12 anos para voltar para uma Copa do Mundo. O Chile foi a sede da sétima edição do Mundial, dois anos depois de um violento terremoto que destruiu a capital Santiago. O Chile ficou no Grupo 2 com Alemanha, Itália e Suíça.

O Chile estreou bem vencendo os suíços por 3X1. O jogo seguinte foi considerado um dos mais violentos da história, ficou conhecido como a "batalha de Santiago" onde chilenos e italianos esqueceram da bola e trocaram chutes e pontapés. Na bola, o jogo terminou em 2X0 para os chilenos. Fora de campo foram dois jogadores expulsos. No jogo seguinte, o Chile perdeu para os alemães por 2X0, mas mesmo assim se garantiram na segunda fase, em segundo lugar do grupo.

Nas quartas de final, o Chile venceu a forte seleção da União Soviética por 2X1. Nas semis, perderam para o Brasil pelo placar de 4X2. Na disputa pelo terceiro lugar, derrotaram a Iugoslávia por apenas 1X0 e ficaram com a medalha de bronze, sua melhor colocação em Copas.

Em 1966, na Inglaterra, a campanha foi um verdadeiro fracasso. La Roja foi eliminada na fase de grupos ainda, ficando em 14º lugar. Em 74, na Alemanha, ficaram de fora novamente na primeira fase, terminando em 11º, mas tiveram o primeiro jogador expulso na história das Copas: Carlos Caszely.

Em 1982, na Espanha, o Chile teve a sua pior campanha em Mundiais. Ficaram com o 22º lugar entre os 24 participantes. Foram eliminados na primeira fase, sem marcar pontos. Em 1998, dezesseis anos depois, a seleção chilena levou à França a melhor geração de jogadores de sua história. Liderados por Ivan "Ban Ban" Zamorano e Marcelo Salas (foto), La Roja passou para as oitavas de final após terminarem em segundo lugar do grupo. Nas oitavas de final, foram goleados pelo Brasil pelo placar de 4X1.

Confira agora os gols de Chile 2X4 Brasil pelas semifinais da Copa do Mundo de 1962


Blogosfera na África 2010: Grupo H- Honduras

on Comments: (0)

Este país ganhou as páginas dos jornais e os noticiários nos últimos meses com a crise da deposição do ex-presidente Manuel Zelaya. A seleção de Honduras irá disputar a Copa do Mundo pela segunda vez em sua história e o "Blogosfera na África 2010" falará um pouquinho dela.

A seleção de Honduras no final dos anos 60 protagonizou um dos episódios mais violentos de sua história. Pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1970, no México, os hondurenhos teriam que enfrentar a seleção de El Salvador, eternos rivais. A relação entre os dois países já não era das melhores, piorou após deflagrar uma guerra entre os dois países que durou quatro dias e acabou sendo chamada de "A Guerra do Futebol".

O saldo total de quatro dias de luta foi de quase dois mil mortos de ambos os lados. Graças a intervenção da Organização dos Estados Americanos, o conflito pôde ter o seu término. Mas agora, falando de futebol, Honduras e El Salvador se enfrentaram três vezes na ocasião: em 8 de junho os hondurenhos venceram por 1X0 em Tegucigalpa. Em 15 de junho, no meio da guerra, El Salvador venceu por 3X0 em San Salvador e foi marcado um jogo extra pro dia 27 de junho na Cidade do México, vencido pelos salvadorenhos por 3X2 e deixando Honduras de fora.

A oportunidade de Honduras de disputar a Copa pela primeira vez se deu em 1982. Na primeira fase das Eliminatórias para a Copa de 82 pela CONCACAF, Honduras terminou em primeiro lugar do Grupo 2 com o mesmo doze pontos que os rivais salvadorenhos, ficando na frente pelo saldo de gols. Na fase final os hondurenhos se classificaram em primeiro lugar, com oito pontos e apenas uma derrota.

Na Espanha, em 1982, La H, como é conhecida ficou no Grupo 5 junto com Espanha, Irlanda do Norte e Iugoslávia. A estreia contou com um surpreendente empate com os anfitriões em 1X1. No segundo jogo, outra vez o país da América Central ficou em um empate em 1X1, desta vez com os norte irlandeses. Precisando vencer ou empatar para seguir na Copa do Mundo, eles perderam para os iugoslavos por 1X0.

Em 2001 eles conseguiram o seu maior feito: eliminaram o Brasil da Copa América da Colômbia e ficaram com uma honrosa terceira posição, conquistada nos pênaltis contra o Uruguai.

Clique aqui e confira a campanha pré-Copa de Honduras pelo "Futebol, Música, Etc"

Confira agora o vídeo do empate entre Honduras e Espanha pela Copa do Mundo de 82



Blogosfera na África 2010: Grupo H-Suíça

on Comments: (0)


Mais uma seleção no Blogosfera na África 2010. Vamos para os alpes comer queijos e esquiar. Contaremos um pouco da história da Suíça, um país completamente neutro, palco da Convenção de Genebra, do chocolate, do relógio que nunca atrasa e sede do maior banco do mundo.

A Suíça fez a sua primeira participação em Copas do Mundo em 1934, na Itália. O país chegou até as quartas de final do torneio, eliminados pela Tchecoeslováquia, por 3X2. Na Copa de 38, na França, os suíços novamente fiaram de fora nas quartas, desta vez perderam para mais um futuro finalista, a Hungria, por 2X0.

Em 1950, no Brasil a seleção suíça não passou da primeira fase, eles ficaram no grupo do Brasil, com quem empataram em 2X2 no Pacaembu. Na Copa seguinte, sediada por eles próprios, eles foram eliminados na segunda fase pela Áustria pelo placar de 7X5, o jogo com o maior número de gols em Copas.

Em 1962, no Chile, a seleção da bandeira vermelha com a cruz branca foi eliminada na primeira fase. Quatro anos depois, na Inglaterra, a história se repetiu. Após esses dois fracassos, a Suíça ficou 28 anos fora de uma Copa do Mundo.

O retorno dos suíços aos Mundiais se deu em 1994, nos Estados Unidos. Ficaram no Grupo A com Estados Unidos, Colômbia e Romênia. A Suíça se classificou como segunda colocada da chave e foi eliminada nas oitavas de final pela Espanha. A Suíça fora derrotada pelo placar de 3X0.

Em 2006, na Alemanha os suíços ficaram no Grupo G com França, Coreia do Sul e Togo. A Suíça estreou empatando sem gols com os franceses. Posteriormente, venceram o Togo por 2X0. E terminado a fase de grupos, ganharam da Coreia pelos mesmos 2X0. Na segunda fase, ficaram no 0X0 com a Ucrânia, mas foram eliminados nos pênaltis por 3X0. A seleção suíça fechou o Mundial de 2006 como a melhor defesa da Copa, sem ter sofrido gols.


Confira agora a disputa de pênaltis entre Suíça e Ucrânia pela Copa de 2006


Blogosfera na África: Grupo H- Espanha

on Comments: (0)


O Blogosfera na África chegou ao último grupo da Copa do Mundo. Agora contaremos a história de uma das seleções mais tradicionais em Mundiais, é cotada como uma das favoritas ao título da Copa de 2010: a seleção da Espanha, o país das sevillanas, da paella e das touradas.

A primeira participação da Espanha em Copas se deu em 1934, na Itália, quando eliminaram o Brasil ainda na primeira fase. Mas eles não foram muito longe, foram eliminados pelos italianos nas quartas de final, terminando em quinto lugar.

Após ficarem de fora da Copa de 1938 por causa da Guerra Civil que devastou o país, a Fúria só voltaria em 1950, no Brasil. Os espanhóis ficaram no Grupo 2 junto com Estados Unidos, Inglaterra e Chile. A campanha espanhola naquele Mundial começou muito bem: venceu os Estados Unidos por 3X1. No segundo jogo, derrotou os chilenos por 2X0. E terminando a fase de grupos, passaram pelos ingleses por 1X0 com um gol marcado por Zarra (foto), que havia feito outros dois gols nas partidas anteriores.

Na segunda fase, o quadrangular final, o espanhois pegaram o Brasil, o Uruguai e a Suécia. A Fúria estreou com um empate sobre os uruguaios em 2X2. Só que o jogo seguinte, foram massacrados pelo Brasil por 6X1 e com direito ao Maracanã inteiro cantando "Touradas de Madrid". Terminado a sua participação no Mundial de 50, a Espanha perdeu para a Suécia por 3X1, ficando com o quarto lugar, sua melhor participação em Copas.

Após ficarem de fora das Copas de 54 e 58, a Espanha voltaria em 1962 no Chile. E a promessa era de luta pelo título, pois contava com o argentino Di Stefano e o húngaro Férenc Puskas. Mas a participação espanhola foi um verdadeiro fiasco: das 16 seleções participantes, terminou com o décimo terceiro lugar. Na Copa de 66, na Inglaterra, caíram de novo na primeira fase, desta vez ficando com a décima posição. Mas em 1964 conquistaram pela primeira vez a Eurocopa.

A Espanha ficou de fora de mais dois mundiais seguidos. A volta só se daria em 1978 na Argentina. Mais uma vez a Fúria fracassou em sua missão, sendo eliminada na primeira fase. Em 1982, quando sediaram a Copa. Eles conseguiram passar da primeira fase, coisa que não acontecia desde 1950. Mas foram eliminados na segunda fase pela Inglaterra, ficando em décimo segundo lugar.

Em 1986, no México, depois de tanto tempo, passaram para as quartas de finais. Apesar do sétimo lugar, a Espanha revelou o craque Emílio Brutagueño (foto), que marcou quatro dos cinco gols sobre a Dinamarca pelas oitavas de final do Mundial. Em 1990, na Itália, a Fúria manteve a base, mas ficou pelo caminho na segunda fase, em décimo.

Em 1992, a seleção espanhola foi campeã olímpica nos Jogos Olímpicos de Barcelona e revelou bons jogadores como: Nadal e Luis Enrique. Foi com esse grupo que a Espanha foi aos Estados Unidos para tentar o título mundial. Mas como sempre, tinha um obstáculo no meio do caminho: a Itália nas quartas de final. Terminaram com o oitavo lugar. Em 1998, na França, foram eliminados na primeira fase. Uma péssima despedida para o goleiro Anton Zubizarreta (foto), considerado por muitos o maior goleiro espanhol de todos os tempos.

Em 2002, na Coreia e no Japão, a Espanha tinha uma outra grande geração de jogadores muito talentosos. Mas após um jogo tumultuado e polêmico contra a Coreia do Sul, eles foram eliminados nas quartas novamente. Em 2006, na Alemanha, caíram nas oitavas de final, terminando em nono lugar. Dois anos depois, a Fúria conquistaria a Eurocopa pela segunda vez.

Clique aqui e leia a campanha pré-Copa da Espanha no "Futebol, Música, Etc"

Confira agora o vídeo da vítoria do Brasil sobre a Espanha por 6X1 na Copa do Mundo de 1950




Blogosfera na África 2010: Grupo G-Portugal

on Comments: (0)


"Herois do mar/Nobre povo/Nação valente e imortal...." assim são os primeiros versos do hino de Portugal e isso define toda a valentia de nossos patrícios nas conquistas d'além-mar nos séculos XVI e XVII. Mas infelizmente eles não tem toda essa tradição em Copas do Mundo, pois em 2010 participarão apenas pela quinta vez.

Poucas pessoas sabem, mas Portugal quase chegou a disputar a Copa do Mundo de 1950, no Brasil. Mesmo perdendo a vaga para a Espanha, a seleção portuguesa foi convidada para participar do Mundial por causa da desistência da Turquia, mas acabou recusando o convite.

A primeira participação pra valer de Portugal foi em 1966 na Inglaterra. A seleção lusitana ficou no Grupo 3 junto com Brasil, Bulgária e Hungria. Os portugueses estrearam com uma boa vitória sobre os húngaros por 3X1. Na partida seguinte, contra a Bulgária, eles os golearam por 3X0. E terminando a fase de grupos, eliminaram o Brasil pelo placar de 3X1, tendo Pelé completamente caçado em campo.

Na segunda fase, tiveram que enfrentar a supreendente Coreia no Norte. E Portugal chegou a estar perdendo por 3X0 no primeiro tempo. Mas na volta do intervalo, Eusébio (foto) com toda sua genialidade marcou quatro dos cinco gols da vitória por 5X3. Nas semis, a Inglaterra derrotou os usitanos por 2X1 com dois gols de Bobby Charlton e um de Euisébio, dando adeus ao sonbho português de ir a uma final de Copa do Mundo. Tiveram que disputar o terceiro lugar contra a União Soviética. A medalha de bronze fora conquistada após uma vitória por 2X1 e com Eusébio na artilharia do Mundial.

Vinte anos depois, a seleção rubro-verde voltaria a jogar uma Copa. No México, eles ficaram em um grupo que tinha Marrocos, Inglaterra e Polônia. Mas para a decepão da imensa torcida portuguesa, caíram na primeira fase, ficando em último lugar no Grupo F, com apenas dois pontos. Em 2002, na Coreia e no Japão, a seleção teve um grupo de jogadores que os colocava como favoritos por causa de liderança de Luis Figo, o melhor jogador do mundo em 2001. O grupo era fácil com Coreia do Sul, Polônia e Estados Unidos. Mas novamente a seleção fracassou. Venceu apenas os poloneses por 4x0 e perdeu para os norte-americanos por 3X2 e pros coreanos por 1X0. Outra vez caíram na fase de grupos.

Após o vexame de 2002, a Federação Portuguesa contratou o brasileiro Luis Felipe Scolari para o cargo de treinador. Felipão deu uma nova cara à seleção portuguesa e a transformou em uma das forças do futebol europeu em pouco tempo. Em 2004, ficaram com o vice-campeonato da Europoca em casa, perdendo a final para a Grécia.

Em 2006, na Alemanha, com moral de ter o técnico campeão mundial de 2002, Portugal fez uma boa campanha no Mundial. Tendo como maior craque da equipe Cristiano Ronaldo (foto), os lusitanos protasgonizaram partidas muito emocionantes, como o jogo contra a Holanda pelas oitavas de final e a disputa de pênaltis contra a Inglaterra pelas quartas de final. Mas o título escapou de novo ao serem eliminados pela França nas semifinais e ficaram com a quarta posição depois de perderem para a Alemanha a disputa pelo terceiro lugar.

Clique aqui e confira a campanha pré-Copa de Portugal pelo "Futebol, Música, Etc"

Confira agora o vídeo da vitória portuguesa sobre o Brasil por 3X1 na Copa do Mundo de 1966




Blogosfera na África 2010: Grupo G-Costa do Marfim

on Comments: (1)


Agora falaremos do nosso segundo adversário na Copa do Mundo de 2010. A seleção da Costa do Marfim, que atuará pela segunda vez em uma Copa do Mundo e é consideradas uma das grandes forças do futebol africano atualmente.

A seleção da Costa do Marfim é conhecida também como "Les Elefants", "Os Elefantes" em francês, devido a abundância desses animais antes da chegada dos colonizadores franceses no século XIX. A seleção marfinense foi campeã da Copa Africana de Nações de 1992.

A única participação dos africanos em Copas se deu em 2006, na Alemanha. Eles ficaram no Grupo C junto com a Argentina, Sérvia e Montenegro e Holanda. Mesmo com Didier Drogba, craque do Chelsea e o grande nome da seleção, a vida da Costa do Marfim foi curta na Copa. Eles perderam na estreia para a Argentina por 2X1. Depois, perderam para a Holanda pelo mesmo placar. Venceram os sérvios pelo placar de 3X2. Ficaram em terceiro lugar no grupo, com apenas três pontos, não passando da primeira fase.

Clique aqui e confira a campanha pré-Copa da Costa do Marfim pelo "Futebol, Música, Etc"

Confira agora a vitória da Costa do Marfim sobre a Sérvia e Montenegro por 3X2 na Copa de 2006


Blogosfera na África 2010: Grupo G-Coreia do Norte

on Comments: (0)



Falaremos agora do país mais fechado do mundo, onde os ocidentais quando vão visitá-lo são constantemente vigiados e que só existe sorvete de morango por lá (é verdade!!!). A seleção do dia é a Coreia do Norte, nosso primeiro adversário.

A Coreia do Norte não tem muita história no futebol mundial e também não é muito tradicional em seu continente. Mas ela participou apenas de um Mundial, de 1966, na Inglaterra.

A classificação norte coreana para a Copa de 66 se deu após uma grande polêmica envolvendo os países membros da Federação Africana, irritados com a punição da FIFA imposta à África do Sul por causa do regime do "apartheid", os países membros decidiram não disputar as Eliminatórias. O vencedor africano jogaria uma repescagem com o melhor asiático, que acabou sendo a Coreia do Norte.

A Coreia do Norte ficou no Grupo 4 junto com a União Soviética, Itália e Chile. Eles estrearam com derrota para os soviéticos por 2X0, onde sofreram muitas faltas violentas. Empataram com os chilenos em 1X1 e ainda protagonizaram uma das maiores zebras das Copas ao eliminarem a Itália por 1X0.

A seleção que antes era vista com desconfiança, começou a conquistar os ingleses. Na segunda fase foi a vez de enfrentarem Portugal. Eles terminaram o primeiro tempo vencendo por 3X0, acreditando que haveria uma sonora goleada sobre os portugueses. Mas no segundo tempo, Eusébio brilhou em marcou quatro gols na vitória por 5X3, uma virada fantástica, que eliminou os surpreendentes asiáticos.



Clique aqui e veja a campanha pré-Copa da Coréia do Norte pelo blog "Futebol Musica Etc"

Confira agora o gol da Coreia do Norte sobre a Itália pela Copa de 1966




SESSÃO MEMÓRIA:HÁ 30 ANOS O FLAMENGO CONQUISTAVA O BRASIL

on Comments: (0)


Há exatamente 30 anos, a maior torcida do Brasil comemorava pela primeira vez um título brasileiro e começaria a escalada para ser a maior equipe brasileira da primeira metade dos anos 80.

Até o ano de 1980, o Flamengo, que já possuía o maior número de torcedores no país, obtia pouco sucesso em competições nacionais. Enquanto os seus rivais já tinham pelo menos um título de âmbito nacional: Botafogo campeão da Taça Brasil de 1968, Fluminense campeão do Troféu Roberto Gomes Pedrosa de 1970 e Vasco da Gama, campeão brasileiro de 1974, o clube da Gávea até então tinha como melhor resultado um quinto lugar em 1972, além de um título do Torneio Rio-São Paulo de 1963.


As coisas começaram a mudar para o time rubro-negro no final dos anos 70, quando com uma nova geração de jogadores, comandada por Zico, além de Andrade, Adílio e Tita conquistou o tri-campeonato carioca em 1978 e 1979.

O Flamengo fez iniciou a disputa do Campeonato Brasileiro de 1980 jogando em um grupo bastante forte que tinha como forças o Santos, dos "Meninos da Vila", liderados por Juari e o Internacional, campeão brasileiro de 1979 e que seria finalista da Libertadores de 1980. A campanha na primeira fase foi quase perfeita. O rubro-negro terminou em segundo lugar, com 13 pontos, atrás dos santistas, com apenas uma derrota, para o Botafogo da Paraíba por 2X1.

Na segunda fase, pegaram um grupo que tinha Palmeiras, Santa Cruz e Bangu. O Flamengo fez uma grande campanha: seis jogos disputados, quatro vitórias e dois empates. Terminando em primeiro lugar e classificado junto com o Palmeiras, que terminou em segundo. A terceira fase foi com uma chave formada por Santos, Desportiva Ferroviária e Ponte Preta. Em três jogos, a equipe do treinador Claudio Coutinho venceu dois e empatou um, seguindo para as semifinais.
O Flamengo jogou as semifinais com o Cortiba, que havia sido semifinalista em 79. Em Curitiba, Zico marcou os dois gols da vitória rubro-negra. No jogo de volta, no Maracanã, o Fla venceu por 4X3, numa partida bastante disputada, com dois gols de Nunes, que garantiram a ida do Flamengo para a sua primeira final do Campeonato Brasileiro.

A final seria disputada contra a fortíssima equipe do Atlético Mineiro. No Mineirão, o Galo saiu vencedor com um gol de Reinaldo. Na volta, no Maracanã com mais de 90 mil torcedores, o Flamengo levantou o título com um gol salvador de Nunes no fim do jogo, dando o primeiro título brasileiro ao time de maior torcida do Brasil. Flamengo 3X2 Atlético Mineiro.

HINO DO FLAMENGO

Uma vez flamengo,
Sempre flamengo.
Flamengo sempre, eu hei de ser.
É meu maior prazer vê-lo brilhar,
Seja na terra, seja no mar.Vencer, vencer, vencer!
Uma vez flamengo,
Flamengo até, morrer!

Na regata, ele me mata,
Me maltrata, me arrebata.
Que emoção no coração!
Consagrado no gramado;
Sempre amado;
O mais cotado nos fla-flus é o 'ai, jesus!'
Eu teria um desgosto profundo,
Se faltasse o flamengo no mundo.
Ele vibra, ele é fibra,
Muita libra já pesou.

Flamengo até morrer eu sou!

Flamengo Campeão Brasileiro de 1980

Em pé:Andrade, Marinho, Raul Plassman, Rondinelli, Carlos Alberto e Júnior

Agachados:Tita, Adílio, Nunes, Zico e Júlio César

Técnico:Claudio Coutinho


BANDA DO MÊS: METRÔ

on Comments: (1)


A banda que vai representar o mês de junho é a primeira banda nacional que terá a sua história contada no FutF-1. É a banda Metrô, um dos grandes nomes do rock nacional nos anos 80.

A banda foi formada em São Paulo no final dos anos 70 com o nome de "A Gota", que usava um estilo rock progressivo. Seus integrantes iniciais eram: Virginie (vocal), Alec Haiat (guitarra), Yann Lao (sintetizadores) e Dany Roland (bateria). Todos eles descendentes de franceses e que estudavam no mesmo colégio.Logo depois, eles mudaram o nome para "Gota Suspensa" e passou por algumas mudanças em sua formação, com a entrada de vários músicos diferentes.

Em 1984, após uma briga com o empresário o grupo muda o nome para Metrô. A explicação dos roqueiros foi que eles eram metropolitanos, de grandes cidades. Com a mudança no nome, também a banda muda radicalmente o seu estilo. do rock progressivo para o new wave. No mesmo ano, gravaram um disco independente que fez sucesso com a música "Beat Acelerado", uma versão de uma conhecida música da bossa nova.

Em 1985 eles lançam o LP "Olhar", que foi um verdadeiro sucesso, o álbum estourou nas paradas de sucesso com as músicas "Tudo Pode Mudar", "Sândalo de Dândi", "Johnny Love" e "Tititi", esta última entrou na trilha sonora de uma famosa novela.

O sucesso da banda aumentava cada vez mais, graças também ao carisma e simpatia da vocalista Virginie. Mas no auge, ela decidiu deixar o grupo para tentar carreira solo e depois se casar. Em 1987, entrou um novo vocalista, o português Pedro Parq, mas não conseguiram alavancar o êxito de antes. O Metrô acabaria se separando em 1988.

Em 2002 o Metrô tentou retornar com a antiga formação, mesmo com Virginie vivendo fora do Brasil. Eles gravaram um álbum chamado "Deja-Vu", tinha uma sonoridade mais voltada para a música eletrônica e dance, incluindo a regravação do antigo hit "Beat Acelerado".