Blogosfera na África 2010: Grupo D-Alemanha

on Comments: (2)


O Blogosfera na África agora abre passagem para uma das seleções mais vitoriosas do mundo, cabeça de chave do Grupo D e uma das favoritas ao título de 2010: a seleção da Alemanha.

A Alemanha foi convidada para a disputa da Copa de 1930, no Uruguai, mas recusou. A sua primeira participação se deu em 1934, na Itália, quando ficou com o terceiro lugar da competição, perdendo a semifinal para a Tchecoeslováquia.

No ano de 1938, o exército alemão ocupou a Áustria, anexando o país à Alemanha. Na Copa do Mundo, que foi realizada na França, a "nova" seleção "austro-alemã", pois contava com jogadores austríacos, não passou da primeira fase, ficando em décimo lugar. A Alemanha em virtude da Segunda Guerra Mundial foi punida com o banimento pela FIFA e por isso ficou de fora da Copa de 1950, que foi realizada no Brasil.

Em 1954, a FIFA aceitou de volta a Federação Alemã, e foi nesse Mundial, que foi realizado na Suíça que começou o chamado "Milagre de Berna". Os alemães ficaram no Grupo 2 ao lado da Hungria, Turquia e Coreia do Sul. A estreia alemã foi com goleada por 4X1 sobre os turcos. Na partida seguinte, foram atropelados pelos "magiares mágicos" da Hungria por 8X3. Alemanha e Turquia estavam empatados em pontos e foi preciso um jogo desempate para decidir quem passaria para as quartas de final. A Alemanha saiu vencedora após aplicar uma goleada por 7X0.

Na segunda fase, enfrentaram a Iugoslávia e venceram por 2X0, seguindo para as semifinais. Na fase seguinte, jogaram com a Áustria. Os alemães golearam os antigos rivais por 6X1 e passaram para a sua primeira final em Copas do Mundo. Só que eles não tinham uma seleção qualquer: era a poderosa Hungria, a mesma seleção que os havia goleado na fase de grupos, liderada por Férenc Puskas, o "Major Galopante". Só um milagre tiraria o títulos das mãos dos húngaros, campeões olímpicos de 1952 e invictos há quase dois anos.

O dia 4 de julho havia chegado e a cidade era Berna, capital da Suíça. Alemães e húngaros frente a frente. E logo no início da partida, dois gols marcados para a Hungria num intervalo de dois minutos: Puskas, aos seis e Czibor, aos oito. Desepero alemão, só mesmo uma força maior para virar a partida. A Alemanha respondeu rápido, aos dez, Morlock diminuiu e aos 18, Rahn empatou. Na volta do intervalo, o jogo continuou truncado até que aos 39 do segundo tempo, Rahn deu vida ao chamado "Milagre de Berna", virada alemã por 3X2, a recuperação da auto-estima de um povo devastado pela Guerra poucos anos antes e Fritz Walter (foto) levantando a Copa pela primeira vez na história do futebol alemão.

Em 1958, a Alemanha chegou à Suécia com moral de campeã do mundo, mas decepcionou ao ficar apenas em quarto lugar, perdendo a decisão do terceiro lugar para os excelentes franceses, que tinham o artilheiro daquele Mundial. Em 1962, no Chile, com uma seleção mais renovada, não passou das quartas de final e ficou em sétimo lugar.

Em 1966, na Inglaterra, foi testemunha de uma das maiores polêmicas da história das Copas, a Alemanha chegou à final para enfrentar a Inglaterra, mas perdeu o título por 4X2. Um dos gols marcados pelos ingleses, na prorrogação, foi validado pelo árbitro. Um jornal alemão noticiou no dia seguinte à derrota a seguinte manchete:"Uma derrota por 2X2". Na Copa seguinte, em 1970, no México, os alemães ficaram pelo caminho nas semifinais. Foi uma das partidas mais emocionantes dos Mundiais. Alemanha e Itália protagonizaram um grande duelo, vencido pelos italianos por 4X3, na prorrogação. O consolo para os alemães foi ficar com o terceiro lugar e ficar com o artilheiro da competição: Gerd Müller, com 10 gols.

Copa do Mundo de 1974, país sede, a própria Alemanha. Os alemães queriam fazer o melhor Mundial de todos e não economizaram em construção de novos estádios, alguns deles reaproveitados das Olimpíadas de Munique, dois anos antes. E a seleção vivia um grande moemnto. Liderada por Franz "Der Kaiser" Backembauer (foto), eles estavam com sede de título. Como anfitriões, a Alemanha ficou no Grupo A junto com a vizinha Alemanha Oriental, Chile e Austrália. A estreia foi contra os chilenos e a Alemanha sofreu um pouco para vencê-los poer 1X0, com um gol marcado por Paul Breitner. O próximo adversário foi a estreante Ausrália, vitória fácil da Alemanha por 3X0 e garantia de classificação para a segunda fase. O último jogo da fase de grupos foi apenas para cumprir tabela. Perderam para os alemães orientais por 1X0, mas ambas as Alemanhas estavam classificadas para a próxima fase.

Na segunda fase, ficaram no Grupo 2 onde tiveram a companhia de Polônia, campeã olímpica de 1972, Suécia e Iugoslávia. O primeiro colocado da chave passaria para a final. A Alemanha enfrentou a Iugoslávia e venceu por 2X0. No segundo jogo, jogaram com a Suécia e golearam por 4X2. Para fechar com chave e ouro de selar a classificação para a final, derrotaram a Polônia de Georgz Lato por 1X0.



A exemplo do que ocorrera vinte anos antes, a Alemanha tinha pela frente mais uma seleção tentação na final: a fascinante seleção da Holanda, que liderada por Johan Cruyff, jogava num esquema onde todo mundo atacava e defendia. A seleção holandesa era chamada de "Laranja Mecânica". Aos dois minutos, Neeskens marcou um gol de pênalti para os holandeses. Aos 27 ainda na primeira etapa, foi a vez de Breitner empatar a partida num pênalti sofrido por Gerd Müller. Aos 43 ainda do primeiro tempo, Müller fechou a conta e virou a partida para a Alemanha por 2X1, sacramentando o bi-campeonato mundial.



Já em 1978, na Argentina, ficaram apenas com a sexta posição, por terem ficado pelo caminho na segunda fase. Em 1982, uma nova geração de jogadores estava surgindo, dois anos antes, em 1980, a Alemanha levantou o título da Eurocopa e lançou craques como o goleiro Schumacher, Rummenigge e Alloffs. Na Espanha, eles voltaram com força total, mas não conseguiram o tri-campeonato, perderam para a Itália por 3X1. Em 1986, no México, praticamente foi o mesmo grupo de jogadores para a Copa e novamente foram finalistas, mas não levantaram a taça. Foram derrotados pela Argentina do genial Maradona por 3X2.



A Copa de 90 foi a primeira depois da reunificação das duas Alemanhas, mas ainda jogaram o Mundial sob o nome de Alemanha Ocidental, pois o Muro de Berlim havia caído em novembro de 1989, logo depois das Eliminatórias. Eles ficaram no Grupo D, junto com Iugoslávia, Colômbia e os Emirados Árabes Unidos, uma chave fácil. A estreia alemã foi logo com goleada em cima dos iugoslavos por 4X1. Na próxima partida as vítimas foi os estreantes Emirados Árabes Unidos, que mesmo sendo comandados por Zagallo, engoliram um massacre de 5X1. Para fechar a fase de grupos, ficaram num empate com a surpreendente Colômbia por 1X1.



Nas oitavas de final, enfrentaram a Holanda e os alemães saíram com a vitória por 2X1. Nas quartas, passaram pela Tchecoeslováquia por apenas 1X0. E nas semis, a tensão foi grande. Enfrentaram a Inglaterra, de Gary Lineker. A partida no tempo normal terminou em 1X1, na prorrogação, não houve gols. Disputa de pênaltis à vista. A Alemanha conseguiu passar para a final por 4X3, após um erro do inglês Waddle, por ter cobrado a sua penalidade pra fora.



Outra vez Alemanha e Argentina se encontravam numa final. O palco foi o Estádio Olímpico de Roma. Era a oportunidade dos alemães de se vingarem de 1986, com Maradona e tudo jogando pelos argentinos. O título saiu após um pênalti salvador a favor da Alemanha. Adreas Brehme converteu corretamente e levou a Alemanha ao tri-campeonato. Lothar Mathäus (foto) era o grande nome daquela equipe e o capitão dela. Beckembauer, pela segunda vez comemoraria o título de campeão do Mundo, desta vez como técnico.


A Copa de 94, disputada nos Estados Unidos mostrou uma seleção alemã muito envelhecida, praticamente com pouqúissimos novos nomes, a maioria dos jogadores havia participado do tri-camponato de 1990, alguns, do vice de 1986 e apenas Mathäus havia jogado a Copa de 82. Essa falta de renovação custou à Alemanha uma eliminação para a surpresa da Copa, Bulgária nas quartas de final e apenas um quinto lugar. Em 1998, na França, as coisas pouco mudaram, desta vez o líder daquele grupo era Jürgen Klinsmann, mas não passaram das quartas novamente e de novo uma seleção surpreendente os eliminou, desta vez foi a Croácia, dando o sétimo lugar para os alemães.



Em 2002, na Coreia e no Japão, o time foi todo reformulado, inclusive contava com jogadores estrangeiros em sua equipe como Mirolav Klose, que é polonês de nascimento, Neuville, suíço e Asamoah, ganês. Essa mistura toda fez uma seleção mais forte, chegando à final, mas sendo derrotada pelo Brasil por 2X0, com dois gols de Ronaldo e mesmo assim o goleiro Oliver Kahn recebeu o prêmio de melhor jogador da Copa.



Em 2006, a Copa novamente aterrissou em território alemão. A ideia era fazer uma Copa alegre, a Copa da Amizade. E a seleção alemã se renovou novamente tendo o ex-jogador Klinsmann como técnico, bastante inovador mesmo, já que ele sequer viva no país, ele morava na Califórnia. Mais estrangeiros na equipe, caindo por terra aquele antigo lema do nazismo da "raça pura alemã", mostrando que a própria Alemanha era o resultado de várias etnias diferentes. A campanha foi bastante empolgante, chegando até a eliminar a Argentina nas quartas de final nos pênaltis, mas não conquistaram o sonhado tetra, que ficou com a Itália. A Alemanha ficou apenas em terceiro lugar.


Clique aqui e confira a campanha alemã para a Copa 2010 pelo blog Futebol Música Etc

Confira agora o gol do tri-campeonato mundial da Alemanha, diante da Argentina em 1990.



Blogosfera na África 2010: Grupo C-Eslovênia

on Comments: (1)


Mais uma seleção no Blogosfera na África e agora é a vez da Eslovênia ter a sua história contada através dos Mundiais.


A Associação de Futebol da Eslovênia foi fundada em 1920, mas apenas obteve filiação à UEFA em 1992 e à FIFA no ano seguinte. O motivo: até o início dos anos 90, a Eslovênia era apenas uma parte da Iugoslávia. Com a guerra civil que assolou o país em 1991, a região acabou sendo dividida em vários países diferentes, entre eles, a Eslovênia.


A primeira vez que os eslovenos participaram de uma Eliminatória para a Copa do Mundo foi em 1998, ficaram no Grupo 1 da Zona Européia e terminaram apenas com a última posição da chave, com um ponto ganho.


O país despontou para o futebol internacional na Eurocopa de 2000, sua primeira e única paticipação, que foi realizada em conjuntos entre a Bélgica e a Holanda. Eles ficaram no Grupo C com Espanha, Iugoslávia e Noruega. Eles empataram com a rival Iugoslávia por 3X3, perderam para os espanhóis por 2X1 e ficaram num empate sem gols com a Noruega. Ficaram com a última posição da chave com apenas dois pontos.


O mesmo grupo de jogadores que participou da competição européia conseguiu levar o seu país para a Copa do Mundo. Ficaram no Grupo 1 da Zona Européia e terminaram em segundo lugar, dando o dreito de disputar a repescagem. Na repescagem, eles eliminaram a forte seleção da Romênia em duas partidas: 2X1 na ida, para os eslovenos. E no jogo de volta, em Bucareste, apenas um empate em 1X1.


A Eslovênia ficou no Grupo B da Copa de 2002, na Coreia e no Japão. Seus adversários foram: Espanha, Paraguai e África do Sul. A seleção dos Balcãs estreou contra a Fúria Espanhola e perdeu por 3X1. No jogo seguinte, pegaram a África do Sul e perderam pelo placar mínimo. A terceira e última partida, apenas para cumprir tabela, jogaram com os paraguaios e foram vencidos por 3X1.

Clique aqui e veja como foi a campanha pré-Copa da Eslovênia pelo blog "Futebol Música Etc"

Confira agora o vídeo da derrota da Eslovênia para o Paraguai por 3X1 na Copa do Mundo de 2002.



Blogosfera na África 2010: Grupo C-Argélia

on Comments: (0)


O Blogosfera na África 2010 volta ao continente africano e conta a história da seleção argelina de futebol, que disputará a sua terceira Copa do Mundo na história.

Até 1962 a Argélia era um território no norte da África que pertencia à França, tanto que um dos maiores jogadores da história da seleção francesa, Just Fontaine, é argelino de nascimento.

A primeira vez que a Argélia participou de uma Copa do Mundo foi em 1982, na Espanha. As "Raposas do Deserto" entraram para o Grupo B com Alemanha, Áustria e Chile. Na estreia os argelinos assombraram o mundo ao derrotarem a Alemanha por 2X1, proporcionando uma das maiores surpresas da história dos Mundiais.

Na segunda rodada, a Áustria os derrotou por 2X0. Mas na terceira partida da primeira fase, não dependiam apenas de si mesmos. Eles venceram o Chile por 3X2, mas precisavam de uma derrota a Alemanha para passar para as oitavas. Mas alemães e austríacos fizeram apenas um "jogo de compadres", a Alemanha venceu por 1X0, resultado que também beneficiou a Áustria e eliminou os argelinos.

Quatro anos depois, estavam de volta, desta vez a Copa do Mundo foi no México. Ficaram no Grupo D ao lado de Brasil, Espanha e Irlanda do Norte. Eles estrearam contra os norte irlandeses e arracaram um empate de 1X1. No segundo jogo, eles enfrentaram os brasileiros e perderam por 1X0, com um gol de Careca. Na terceira partida, foram goleados pelos espanhóis por 3X0. Não foi desta vez que a Argélia passou de fase em Mundiais.

Em 1990 eles sediaram a Copa Africana de Nações e foram campeões da competição continental. Apesar do título, a seleção não conseguia se classificar para a Copa do Mundo. Feito conseguido apenas nas Eliminatórias para a Copa de 2010, quando precisou de um jogo extra contra o Egito para conseguir a vaga.


Confira agora o vídeo da vitória da Argélia sobre a Alemanha por 2X1 na Copa do Mundo de 1982.

Blogosfera na África 2010: Grupo C-Estados Unidos

on Comments: (1)


Todo mundo sabe que o futebol não é o esporte que figura entre os mais populares entre os norte-americanos. Mas a história dos Estados Unidos em Copas do Mundo é muito rica, sobretudo nos últimos anos, quando o futebol começou a crescer.


A primeira participação do país da Estátua da Liberdade em Copas do Mundo foi em 1930, no Uruguai. Os Estados Unidos ficaram no Grupo 4 com Paraguai e Bélgica. Na estreia, os americanos venceram os belgas por 3X0. No jogo seguinte, mais um 3X0, desta vez em cima do Paraguai e a garantia do primeiro lugar da chave e a classificação para a fase seguinte.Nas semifinais, foram goleados pela Argentina por 6X1. Terminaram a primeira Copa do Mundo com a terceira colocação, a frente da Iugoslávia, foi a melhor campanha do time do Tio Sam em Mundiais.


Na Copa seguinte em 1934, na Itália, o sistema desde o início era eliminatório. Os EUA jogaram contra a Itália e acabaram sendo derrotados por 7X1 e voltaram para casa apenas com o 16º lugar. A seleção americana não participou da Copa de 1938, na França.

Em 1950 a Copa do Mundo foi disputada aqui no Brasil e os Estados Unidos estiveram presentes e escreveram mais uma página na história dos Mundiais. Eles ficaram no Grupo 2 com Espanha, Inglaterra e Chile. Na estreia, perderam para os espanhóis por 3X1. Mas foi na segunda partida da primeira fase que eles fariam história. Os americanos enfrentaram a Inglaterra no Estádio Independência, em Belo Horizonte, no dia 29 de junho. Para o espanto de todos, a seleção norte-americana derotou os inventores do futebol pelo placar de 1X0, com um gol marcado pelo haitiano Joe Gaetjens (foto). Foi considerada a primeira grande zebra da história das Copas do Mundo. Apesar do grande resultado, a seleção americana perdeu para o Chile por 5X2 e foram eliminados ainda na fase de grupos.

Após a Copa de 50, os Estados Unidos ficaram por muito tempo sem ir à Copa do Mundo, precisamente 40 anos, entre 1950 e 1990. Eles sempre eram eliminados nas preliminares das eliminatórias da CONCACAF.

Em 1990, o time as estrelas e listras voltaram a figurar entre as seleções classificadas para a Copa. Ficaram no Grupo A junto com a anfitriã Itália, Tchecoeslováquia, além da Áustria. Eles perderam todos os três jogos e ficaram com o 22º lugar. O futebol na época ainda era um esporte bastante amador, para se ter uma ideia, os jogadores da seleção não tinham clubes, alguns jogavam nas universidades.

Chegou a Copa do Mundo de 1994 e os Estados Unidos foram escolhidos como sede. Para não fazerem feio como nas edições anteriores, foi feito um programa todo especial para o desenvolvimento do esporte e também para o aumento da popularidade, já que boa parte da população não tinha a menor ideia de como o futebol é jogado. A seleção norte americana levou para o Mundial um grupo de jovens jogadores talentosos como Alexis Lalas (foto), Marcelo Balboa, Tony Meola, Eric Wynalda, entre outros. Os Estados Unidos ficaram no Grupo A com Colômbia, Suíça e Romênia. Na estreia eles enfrentaram a Suíça e ficaram no empate em 1X1. No segundo jogo, venceram a Colômbia por 2X1, eliminando os colombianos ainda na primeira fase. E na terceira partida, perderam para a Romênia por 1X0. Mesmo assim, se classificaram para as oitavas de final como melhor terceira colocada. Na segunda fase, no dia 4 de julho, dia da Independência dos EUA, eles foram eliminados pelo Brasil pelo placar de 1X0.


Após a Copa de 94, de fato o futebol se desenvolveu bastante no país. Em 1995 foi criada a MLS (Major League Soccer), a liga americana de futebol. Craques eram contratados a peso de ouro pelas equipes, repetindo o fenômeno causado por Pelé e New York Cosmos nos anos 70. Com o desenvolvimento do futebol local, obviamente a seleção crescia e conquistava títulos continentais.

Em 1998, na França, eles estavam de volta, pegaram um grupo formado por Alemanha, Iugoslávia e Irã, seu inimigo político. Parece que o futebol dos yankees e repetiu os fracassos de edições anteriores, perdendo todos os três jogos da primeira fase. A derrota mais marcante foi para o Irã por 2X1.Os americanos terminaram a Copa de 98 em 32º lugar, sua pior campanha. Em 2002 na Coreia e no Japão, ficaram no grupo com Portugal, Polônia e Coreia. De fato os gringos foram uma das surpresas daquela Copa, passaram de fase em segundo lugar no grupo e conseguiram chegar até as quartas de final, perdendo para a Alemanha e ficando em quinto lugar. Em 2006 ficaram no grupo E com Itália, República Tcheca e Gana. Conseguiam apenas um ponto e saíram na primeira fase.


Confira agora um trecho com o gol da seleção dos Estados Unidos sobre a Inglaterra na Copa do Mundo de 1950

BOTAFOGO E COXA SÃO OS DOIS PRIMEIROS CAMPEÕES DE 2010

on Comments: (1)

Já começaram a aparecer os primeiros campeões estaduais. No Rio deu Botafogo, que conquistou a Taça Rio derrotando o Flamengo por 2X1 na final. No Paraná o título foi para o Coritiba, que precisava vencer o rival Atlético Paranaense para ser campeão com uma rodada de antecedência.

BOTAFOGO ACABA COM A HEGEMONIA DO FLAMENGO

Após três vices seguidos para o Flamengo, a estrela solitária voltou a brilhar lá no alto e sua torcida pôde voltar a sorrir e comemorar um título. O Botafogo conquistou a Taça Rio após derrotar o Flamengo por 2X1 e como foi o campeão da Taça Guanabara também, assegurou o título de campeão carioca de 2010.

Foi uma partida tensa, muito bem disputada por ambas as equipes onde prevaleceu a garra e a persistência botafoguenses na busca pelo gol. Aos 20 minutos, agarrão na área de Ronaldo Angelim em Fábio Ferreira: pênalti. O argentino Herrera cobrou e converteu a penalidade, sem chances para o goleiro Bruno. Botafogo 1X0. Após o gol alvinegro, o Flamengo tentava abrir os espaços na zaga botafoguense. Água mole em pedra dura tanto bate até que fura. Bololô na área do Botafogo e a bola sobre livre para Vagner Love empatar o jogo aos 44.

Na volta para a segunda etapa, o Flamengo continuava indo pra cima, para tentar a virada. Aos 25, o chileno Maldonado derruba Herrera na área e como já tinha um cartão amarelo, foi expulso. Pênalti para o Botafogo. "El Loco" Abeu cobrou com estilo, por cima de Bruno. Botafogo 2X1. Logo depois, Fahel derrubou Adriano na área. Herrera ensandecido parte pra cima do árbitro para reclamar e recebe o cartão vermelho. Os dois times ficam com 10 homens. O Imperador bate e....Jefferson defende. O tempo vai passando e o desespero rubro-negro aumenta. Jefferson efetua mais duas grandes defesas. O árbitro apita o final da partida e a torcida botafoguense grita de alma lavada: Botafogo campeão carioca de 2010.

O mérito do título botafoguense é em grande parte de Joel Santana, assumiu um time desacreditado, que tinha acabado de sofrer uma goleada histórica por 6X0. Arrumou a equipe e conquistou a Taça Guanabara em cima do mesmo Vasco, que semanas antes haia aplicado aquela goleada. O Botafogo quebrou um jejum de quatro anos sem títulos, desde 1997 o Botafogo não ganhava de um time grande em uma decisão e desde 1989 não derrotava o Flamengo em uma final de Estadual. Além disso quebrou um tabu que pertencia ao Vasco, que conquistou os dois turnos do Carioca em 1998.

HINO DO BOTAFOGO

Botafogo, Botafogo,
campeão desde 1910

És herói em cada jogo,
Botafogo, por isso que tu és
e hás de ser nosso imenso prazer
Tradições aos milhões tens também
Tu és o glorioso,
não podes perder,
perder para ninguém!

Em outros esportes,
tua fibra está presente,
honrando as cores do Brasil e da nossa gente
Na estrada dos louros, um facho de luz
Tua estrela solitária te conduz!

CORITIBA CONQUISTA O TÍTULO PARANAENSE

O Coritiba precisava apenas vencer o clássico Atle-Tiba para levantar o título paranaense com uma rodada de antecedência no Estádio do Couto Pereira, na capital paranaense.

O estádio do Curitiba que foi palco de uma verdadeira guerra na última rodada do Campeonato Brasileiro- quando a torcida invadiu o campo e foi destruindo tudo o que viam pela frente e agredindo policiais, após o rebaixamento para a Série B-agora foi palco da alegria dos torcedores do time alviverde.

A festa do Coxa começou no início do segundo tempo quando Marco Aurélio abriu o placar aos cinco minutos. Aos 29 da segunda etapa, Geraldo, ex-jogador do Ceará deu números finais à partida e o título para o Cortiba.

Parabéns à toda nação Coxa Branca pelo seu 34º título estadual

HINO DO CORITIBA

De norte a sul
Está brilhando o Coxa-Branca
Meu Coritiba é o campeão do povo

Oh, Glorioso!

Como é bom te ver campeão de novo! (bis)

És o vovô
És tradição do Paraná
Desde 1909

Meu verdão coxa-branca
Tua camisa faz meu coração vibrar

No alto de tantas glórias
A verde e branca vive sempre a tremular

O meu verdão é campeão brasileiro
É fita azul é campeão no estrangeiro

Oh, Glorioso!
Como é bom te ver campeão de novo

Blogosfera na África 2010: Grupo C-Inglaterra

on Comments: (0)


O Blogosfera na África 2010 chegou ao Grupo C. Agora contaremos um pouco da história da seleção inglesa em Copas do Mundo, que estará em uma Copa pela décima terceira vez e, que na minha opinião é uma das favoritas ao título esse ano.

O "English Team" não dava muita importância para a Copa do Mundo até 1950, quando se classificou pela primeira vez. Os inventores do futebol no entanto foram alvo da primeira grande surpresa em Mundiais. Em Belo Horizonte, no Estádio Independência, os ingleses foram derrotados por 1X0 para os Estados Unidos. A surpresa foi tanta que quando o telegrama chegou para a imprensa inglesa, acharam que o telégrafo havia errado e que deveria estar escrito Estados Unidos 1X10 Inglaterra. Mas a aventura dos ingleses em terras brasileiras durou pouco, foram eliminados na primeira fase, ficando em oitavo lugar.

Na Copa seguinte, em 1954, na Suíça, a Inglaterra conseguiu ir um pouco mais longe, chegaram às quartas de final, sendo eliminados pelo Uruguai por 4X2. Em 1958, pegaram um grupo com Brasil, Áustria e União Soviética, ficaram pelo caminho ainda na primeira fase, ficando com a décima primeira posição. Quatro anos depois, no Chile, os ingleses outra vez passaram para as quartas de final, ficaram com o oitavo lugar.

As coisas mudariam em 1966, quando a Inglaterra abrigou a Copa do Mundo. Os anfitriões ficaram no Grupo 1 com Uruguai, México e França. A estreia inglesa não foi muito animadora, ficaram apenas num empate sem gols com os uruguaios. Na segunda partida, a seleção inglesa desencantou e venceu os fracos mexicanos por 2X0. Na última partida da primeira fase, um clássico entre Inglaterra e França, vencido pelo país do Big Ben por 2Xo e assegurando a liderança de sua chave.

Na segunda fase eles enfrentaram a Argentina, foi uma partida bastante polêmica inclusive com desentendimento entre o árbitro e o jogador argentino Rattin, que foi expulso por que não entendia o que o juiz alemão falava. Foi por causa desse episódio a FIFA resolveu cirar os cartões amarelo e vermelho. Apesar dos problemas os ingleses venceram por 1X0.

Nas semifinais a Inglaterra enfrentou a grande seleção portuguesa de Eusébio, considerado um dos maiores jogadores do mundo na época. Com dois gols de Bobby Charlton (foto) e um gol de honra de Eusébio, os ingleses passaram para a final da Copa do Mundo. Dia 30 de julho de 1966, estádio Wembley, cidade de Londres. O mundo estava atento à grande final entre ingleses e alemães. Foi uma partida muito disputada, chegando até a haver prorrogação e um gol polêmico de Hurst, que passou antes da linha, mas o árbitro validou. Hurst marcou três dos quatro gols da Inglaterra na final e os ingleses saíram com o título mundial após derrotarem a Alemanha por 4X2.

Em 1970, no México, eles chegaram ao país da América do Norte com o intuito de tentar o bi-campeonato. Pegaram o chamado "grupo da morte" com Brasil, Tchecoeslováquia e Romênia. O fato mais marcante da seleção inglesa na Copa de 70 foi a defesa do goleiro Gordon Banks (foto) de uma cabeçada certeira de Pelé, essa defesa ficou conhecida como a "defesa do século". Apesar da derrota para os brasileiros por 1X0, a Inglaterra passou para a segunda fase. Mas tiveram que enfrentar a Alemanha e sem Banks, que havia passado mal. Eles perderam por 3X2 de virada e saíram do Mundial.


Após ficarem de fora em 1974 e 1978, a Inglaterra retornaria em 1982, na Espanha e ficaram pelo caminho na segunda fase, ficando com a sexta colocação. Em 1986 no México o
utra vez, o time que disputou aquela Copa entrou para a história dos Mundiais. Numa partida contra a Argentina, eles viram o endiabrado Maradona driblar todo o time inglês e marcar um dos gols mais bonitos da história. No mesmo jogo, Maradona fez o polêmico gol da "mão de Deus". Após essa partida a Inglaterra arrumou as malas e ficou em sexto lugar. Apesar da eliminação, tiveram o artilheiro da Copa, Gary Lineker (foto), com seis gols. Em 1990, na Itália o "English Team" fez a melhor campanha desde 1966. Eles ficaram com o quarto lugar, perdendo a decisão do terceiro lugar para a Itála.

Novamente a Inglaterra fica fora de um Mundial, desta vez de 1994, nos Estados Unidos. Em 1998 na França eles retornam com uma geração toda renovada com jovens talentos como DAvid Beckham, Alan Shearer, e o "garoto de ouro" Michael Owen (foto). A seleção inglesa mostrou mesmo que o menino de 18 anos tinha talento, eles terminaram a primeira fase em segundo lugar do grupo que teve Colômbia, Romênia e Tunísia, mas foram eliminados nas oitavas de final pela Argentina nos pênaltis, ficando em nono.

Em 2002 no Japão e na Coreia, pegaram novamente a Argentina, desta vez na fase de grupos. Os ingleses ficaram com a segunda posição do grupo, atrás da Suécia e tendo os argentinos e a Nigéria eliminados. Nas oitavas, passaram pela Dinamarca por 3X0, mas nas quartas caíram diante do Brasil por 2X1 de virada e terminando em sexto lugar. Em 2006 na Alemanha, os ingleses foram eliminados nos pênaltis por Portugal nas quartas de final, ficando com o sétimo lugar.

Clique aqui e confira a campanha inglesa para a Copa do Mundo 2010 pelo blog Futebol Música Etc

Veja agora a decisão entre Inglaterra X Alemanha em 1966 quando os ingleses levaram seu primeiro mundial


RED BULL VACILOU E BUTTON VENCEU NA CHINA

on Comments: (0)


Jenson Button, da Mc Laren venceu o GP da China, fazendo a sua segunda vitória no ano e assumindo a liderança do Mundial de Pilotos, com 60 pontos ganhos.

Foi uma corrida que teve emoções de sobra, ultrapassagens arrojadas, batidas, safety care, pit stops e manobras polêmicas. Logo na largada Fernando Alonso, da Ferrari, assumiu a liderança ultrapassando as duas Red Bulls que estavam na primeira fila. Tal manobra foi denunciada pela organização da prova e ele foi penalizado por passar pelos boxes.

O companheiro de Button, Lewis Hamilton chegou em segundo lugar e Nico Rosberg, da Mercedes GP chegou em terceiro. Alonso, após altos e baixos terminou a prova em quarto lugar e Robert Kubica em quinto. As duas Red Bulls que largaram na primeira fila terminaram com Sebastian Vettel em sexto e Mark Webber em oitavo.

Felipe Massa, da Ferrari ficou apenas com o nono lugar, Rubens Barrichello, da Williams foi o 12º e Bruno Senna, da HRT terminou em décimo sexto.

A próxima prova será no dia 9 de maio no circuito de Barcelona, na Espanha.

SÓ DÁ RED BULL NA POLE

on Comments: (2)


É a quarta etapa do mundial de Fórmula 1 e a Red Bull está comandando as poles position, embora falte mais sorte para a equipe austríaca nas corridas. Sebastian Vettel irá largar em primeiro pela terceira vez no ano, desta vez no autódromo de Xangai, na China.

Ao lado de Vettel, seu companeiro de equipe Mark Webber, largará em segundo lugar, abrindo a segunda fila, está Fernando Alonso, da Ferrari e Nico Rosberg, da Mercedes em quarto lugar. As duas Mc Larens formam a terceira fila com Jenson Button e Lewis Hamilton largando em quinto e sexto, respectivamente.

Felipe Massa irá largar apenas em sétimo lugar, Michael Schumacher, da Mercedes, em non. Rubens Barrichello, da Williams largará em décimo primeiro e lá no final do grid estão Lucas di Grassi, da Virgin e Bruno Senna, da HRT, largando em 22º e 23º.

Blogosfera na África 2010: Grupo B-Grécia

on Comments: (0)


O quadro Blogosfera na África irá contar a história da seleção da Grécia, que disputará a Copa do Mundo pela segunda vez em toda a sua história.

A Grécia não tem muita tradição futebolística, o futebol embora seja um esporte bastante popular no país com as equipes locais de vez em quando fazendo bons papéis nos campeonatos europeus de clubes, como AEK Atenas, Panathianikos e Olimpiakos. A seleção nacional só mostrou algum crescimento a partir dos anos noventa, quando se classificaram pela primeira vez a uma Copa do Mundo. Ficaram em primeiro lugar de seu grupo com oito jogos disputados, seis vitórias de dois empates, ficando a frente da Rússia.

Nos Estados Unidos em 1994, a seleção helênica caiu no Grupo D com Argentina, Nigéria e Bulgária. Acreditava-se que os gregos seriam uma das surpresas do Mundial, mas o que se viu foi um futebol pequeno e com a Grécia se despedindo da Copa na primeira fase em último lugar na chave, sem marcar um ponto e sem fazer gols. A Grécia estreou contra a Argentina e foi engolida por sonoros 4X0, com direito a show de Maradona. Contra a Bulgária, mais um 4X0 na conta da seleção helênica. E pra fechar o caixão, perderam para a Nigéria por 2X0.

A participação grega na Copa de 94 deixou uma péssima impressão até que o tempo se encarregaria de mudar isso. A Grécia disputou a Eurocopa de 2004, realizada em Portugal. Ninguém dava nada por eles até a chegada à final, onde enfrentaram os anfitriões. Com um gol de Agnelos Charisteas (foto), a Grécia surpreendeu o mundo e conquistou o seu título mais importante de sua história.

Clique aqui e veja a campanha pré-Copa da Grécia pelo blog "Futebol Música Etc"

Confira a estreia da Grécia na Copa do Mundo de 1994, quando foram goleados pela Argentina por 4X0.


O MARTELO FOI BATIDO

on Comments: (4)

Dois dias após a eleição no Clube dos 13 e ter seu candidato derrotado nas urnas, o Kleber Leite, Ricardo Teixeira, presidente da CBF resolveu dar um fim a um imbróglio que já dura quase 18 anos. O São Paulo irá receber a Taça das Bolinhas em reconhecimento por ter sido o primeiro penta-campeão brasileiro. Mas o que é essa tal Taça das Bolinhas?

A Taça das Bolinhas é um troféu que deveria ser entregue ao clube que conquistasse três vezes seguidas ou cinco vezes alternadas o título de campeão brasileiro.Após o título brasileiro do Flamengo de 1992, eles se entitularam penta campeões, mas segundo a entidade máxima do futebol, o rubro-negro havia conquistado apenas o seu quarto título nacional. Desde então se iniciou uma grande briga envolvendo o time da Gávea por causa da polêmica Copa União, torneio disputado em 1987 e conquistado pelo Flamengo, mas organizado pelo Clube dos 13, assim não teria o reconhecimento da CBF, que teve também o seu campeonato e o título ficou com o Sport. Bom essa história já estou cansado de contar.

Só que quinze anos depois do tetra ou penta do Flamengo, em 2007, o São Paulo conquistou o seu quinto título brasileiro e passou a exigir o direito de ter o famigerado troféu sob a condição de primeiro penta campeão brasileiro. Confusão armada. O Flamengo bradava aos quatro ventos que merecia a taça, que estava num cofre da agência da Caixa Econômica Federal, no Centro do Rio, enquanto os são paulinos por outro lado argumentavam que o Flamengo sequer foi à Libertadores em 1988, quanto mais ser campeão brasileiro de 1987.

Agora a tarde foi decidido que o São Paulo levará a Taça, que deve precisar de um lustro pra enfeitar a sala de troféus do clube do Morumbi. Nada mais justo, me perdoem os flamenguistas.

O argumento dado pelos torcedores do Flamengo e parte da imprensa é que a Copa União foi um campeonato que teve os clubes com as maiores torcidas do Brasil. Sim, é verdade, foi um campeonato formado com os fundadores do clube dos 13 e mais três clubes convidados, todos eles de torcidas grandes. Mas isso não quer dizer nada. Pra ser válido, tem que ter o aval da CBF.

O Campeonato Brasileiro verdadeiro daquele ano teve times mais fracos, diga-se de passagem, mas isso não tira a sua legitimidade. Independente que fosse o campeão da Copa União, seja o Flamengo, Internacional, Cruzeiro, Altético, Vasco ou Palmeiras, eles não teriam o reconhecimento da CBF como campeões. Pra que ficar dando murro em ponta de faca?

Agora, demorar quase vinte anos pra decidir que é o verdadeiro penta...dona CBF....brincadeira.

Blogosfera na África 2010:Grupo B- Coreia do Sul

on Comments: (0)


Continuamos no Grupo B e agora falaremos de um representante asiático da Copa de 2010: a Coreia do Sul, cuja seleção também é conhecida como os "Tigres Asiáticos."

A Coreia não foi o primeiro país da Ásia a disputar a Copa do Mundo, esta honra caba às Índias Holandesas, atual Indonésia, que disputou a Copa do Mundo de 1938. Os coreanos despontaram no cenário mundial após fazerem uma boa campanha nos Jogos Olímpicos de Londres em 1948. Mas a sua primeira participação em Copas foi em 1954, na Suíça. Em seu primeiro mundial, eles foram eliminados na primeira fase e terminaram na 16º e última posição.

Os asiáticos teriam que esperar mais um pouco para jogar mais uma Copa, embora eles tenham se classificado para a Copa da Inglaterra em 1966 e desistiram, dando de bandeja a vaga para a rival Coreia do Norte.

A Coreia do Sul só voltaria a jogar um Mundial em 1986, no México e acabaram repetindo o feito de serem eliminados na Primeira Fase, mas pelo menos arrancaram o seu primeiro ponto após empatarem com a Bulgária em 1X1. Em 1990, na Itália, o fracasso continuou, caindo na fase de grupos e terminando a Copa sem nenhum ponto em penúltimo lugar.

Em 1994, nos Estados Unidos, a Coreia teve um desempenho um pouco melhor, saíram na primeira fase, mas terminaram em terceiro no grupo, com dois pontos ganhos empatando com a Espanha em 2X2 e com a frágil Bolívia em 0X0. Em 1998 ficaram com apenas um ponto, outra vez a sina se ficar de fora na fase inicial da Copa.

A Coreia conseguiu junto com o Japão a oportunidade de sediar a Copa do Mundo de 2002. A torcida coreana (foto) fez uma enorme festa nos estádios. Um mar vermelho e gritos de De-Hay-Ni-Go, que siginifica "República da Coreia do Sul" em coreano ecoaram pela Coreia. O país co-anfitrião entrou no Grupo D com Estados Unidos, Portugal e Polônia. A seleção da Coreia estava sendo treinada pelo holandês Gus Hiddink, que foi terceiro lugar com a Holanda na Copa de 1998.

A campanha coreana na primeira fase foi irrepreensível. Estrearam com vitória sobre os poloneses por 2X0. Na segunda rodada, ficaram apenas no empate com os norte-americanos em 1X1. Para sacramentar a classificação para a segunda fase pela primeira vez, derrotaram Portugal por 1X0.

Nas oitavas de final eles enfrentaram a Itália, e com alguma ajuda muito suspeita, venceram de virada por 2X1. Nas quartas foi a vez da Espanha. Jogo complicado e novamente com a arbitragem cometendo erros um tanto bobos, a favor dos coreanos. No tempo normal, o jogo terminou em 0X0. Nos pênaltis, deu Coreia do Sul por 5X3. Nas semis, perderam para a Alemanha por 1X0, tendo que se contentar com a disputa pelo terceiro lugar. Acabaram ficando em quarto lugar após perderem para a Turquia por 3X2.

Em 2006,na Alemanha, eles tentaram repetir a boa campanha de 2002, mas acabaram ficando pelo caminho de novo na primeira fase, com uma vitória e um empate, ficando com o 17º lugar.


Confira agora a vitória da Coreia sobre a Itália por 2X1 na Copa do Mundo de 2002


Blogosfera na África 2010:Grupo B-Nigéria

on Comments: (0)


Mais um novo post no nosso quadro Blogosfera na África 2010. E falaremos de mais uma seleção do Grupó B, que não nos traz boas recordações. Agora é a vez da Nigéria, que disputará o seu quarto mundial.

A Nigéria até os anos 60 pertencia à Inglaterra foi logo após a independência que o país começou a se tornar uma das forças do continente africano. Em 1966 chegou a conseguir uma das vagas para a Copa do Mundo, mas assim como a Etiópia, desistiu de disputar o torneio, deixando a Copa da Inglaterra sem representantes da África.


Os nigerianos só conseguiriam a sua primeira oportunidade de disputar uma Copa em 1994, no mesmo ano em que conquistariam no mês de Janeiro a Copa Africana de Nações pela primeira vez. Nos Estados Unidos a Nigéria entrou para o Grupo D formado por Argentina, Bulgária e a frágil seleção da Grécia. Era forte a possibilidade dos africanos caírem fora logo no início, mas a campanha na primeira fase assombrou todo mundo.

Pra começo de conversa, a Nigéria saiu vencedora em cima da Bulgária: 3X0. Na partida seguinte, contra a Argentina, perderam por 2X1, com um verdadeiro show dos argentinos. Na terceira e última partida da primeira fase, precisavam derrotar a Grécia e torcer para uma derrota dos argentinos para ficar com o primeiro lugar do grupo. Os nigerianos derrotaram os pobres gregos por 2Xo e beneficiados pela derrota da Argentina para a Bulgária por 2X0, terminaram como campeões do Grupo D, surpreendendo a todos. Nas oitavas de final, perderam de virada para a Itália por 2X1, chegando a levar a partida para a prorrogação.


Depois dessa odisseia pelos EUA em 1994, a Nigéria deixou de ser uma simples supresa, estava confirmado que era uma grande seleção e que podia muito mais. Eles foram campeões olímpicos em Atlanta em 1996 após eliminarem o Brasil nas semi-finais e derrotar a Argentina na final olímpica, o time comandado por Kanu (foto) tornou-se a primeira seleção africana a conquistar o ouro olímpico no futebol.

Em 1998, na França, a zebra verde e branca aprontou de novo. Caíram novamente no Grupo D com Paraguai, Espanha e Bulgária. A Nigéria passeou sobre a Espanha e venceu por 3X2. Na partida posterior, derrotaram a Bulgária por 1X0, com gol de Ikpeba. Mas na terceira partida, perderam para o Paraguai por 3X1. Mesmo assim garantiram o primeiro lugar do grupo. Na segunda fase, foram goleados pela Dinamarca por 4X1 e se despediram da Copa do Mundo.

Na Copa do Mundo de 2002, a expectativa já era grande e todos esperavam o que os "Super Águias" iam aprontar. Eles ficaram no Grupo F, o chamado "Grupo da Morte" com Inglaterra, Argentina e Suécia. Mas não obtiveram o mesmo sucesso dos dois mundiais anteriores e acabaram ficando de fora ainda na fase de grupos, um último lugar em sua chave, com apenas um ponto.

Clique aqui e veja a campanha pré-Copa da Nigéria no blog "Futebol Música Etc"

Confira agora a vitória da Nigéria sobre a Espanha por 3X2 na Copa de 1998


Blogosfera na África 2010:Grupo B-Argentina

on Comments: (1)

Agora começamos a falar das seleções do Grupo B da Copa do Mundo de 2010. E começaremos logo falando do histórico de nossos grandes rivais, os nossos "hermanos", a seleção da Argentina, que disputará sua décima quinta Copa.

Na década de 20, a seleção argentina era uma das grandes potências da América do Sul disputando o posto de melhor seleção do continente com o Uruguai. Nas Olimpiadas de 1928 em Amsterdã, eles decidiram a final de futebol e os uruguaios saíram vitoriosos. Em 1930, na primeira Copa do Mundo da história, argentinos e uruguaios voltaram a decidir um torneio. Mas a Celeste levou a melhor sobre os "hermanos". A Argentina voltou para casa com uma derrota por 4X2 e com um vice-campeonato mundial.

Na Copa seguinte, em 1934, na Itália, o modelo de disputa era mazta-mata desde o início. A Argentina perdeu logo na partida de estreia para a Suécia e acabou sendo eliminada logo a primeira fase, ficando em nono lugar.

Entre 1938 e 1958, a seleção da Argentina ficou de fora da Copa do Mundo. E durante o período da II Guerra Mundial, quando não houveram as Copas de 1942 e 1946, o país tinha uma das maiores seleções do mundo. A base desse grupo era o River Plate dos anos 40, que era conhecido como "La Maquina". Eles retornariam em 1958, onde outra ficaram pelo caminho na primeira fase, ficando em 13º lugar.

Na Copa do Mundo de 1962, no Chile, a seleção alviceleste acabou caindo outra vez na fase inicial, ficando com o décimo lugar. Em 1966, na Inglaterra, terminaram o Mundial com a melhor campanha até então: um quinto lugar, sendo eliminados pela Inglaterra após uma partida bastante tumultuada que resultou na expulsão de um jogador argentino por ele não ter entendido o que o árbiro falava. Foi a partir deste episódio que foram criados os cartões amarelos e vermelhos e que seriam utilizados a partir da Copa de 1970, no México.

A Argentina voltou a ficar fora de um Mundial após ser eliminada pelo Peru nas Eliminatórias. Eles tiveram que se contentar em ver o maior rival Brasil levantar a Taça Jules Rimet em 1970 e sagrar-se tri-campeão. Mas eles voltariam em 1974 com um grupo bastante renovado, a Argentina acabou terinando em oitavo lugar, caindo em uma das semi-finais, que nas Copas de 1974 e 1978 eram disputadas em dois grupos com quatro seleções.

Em 1976 o país deu início a uma das fases mais negras de sua história. Um golpe militar liderado pelo general Jorge Rafael Videla derrubou a presidenta do país Isabelita Perón e deu início a uma das mais violentas ditaduras militares do continente. Dois anos depois a Copa do Mundo aportaria na Argentina, mas o país havia sido escolhido como sede doze anos antes, em 1966 num congresso da FIFA. Para que esta fosse uma Copa perfeita (para os argentinos), os donos do poder não mediriam esforços.

A seleção argentina caiu no Grupo A junto com Itália, França e Hungria. A campanha dos anfitriões não foi das mais animadoras. Após derrotar a Hungria e a França, ambos por 2X1, a Argentina perdeu para a Itália por 1X0, terminando em segundo lugar da chave, atrás dos italianos. Na segunda fase a Argentina foi para o chamado Grupo II que contava com Brasil, Polônia e Peru. Os argentinos não tomaram conhecimento dos poloneses e os derrotaram por 2X0. Foram para Rosário enfrentar o Brasil numa partida que ficou conhecida como "A Batalha de Rosário", o resultado foi 0X0, mas sobraram faltas violentas.

Ao enfrentar o Peru, que tinha a melhor defesa da Copa, os argentinos precisavam vencer os peruanos por uma diferença de quatro gols, para passarem para a final. Pois um pouco antes o Brasil vencera a Polônia por 3X1. Tarefa difícil. Mas o que se viu na partida contra o Peru foi uma seleção completamente entregue. A Argentina saiu vitoriosa pelo polêmico placar de 6X0. Para muitos a seleção do Peru entregou o jogo, sob pressão do governo militar argentino.

Chegou a final e a Argentina enfrentou a Holanda, que havia sido vice-campeã em 1974. No tempo normal o jogo terminou em 1X1. Mas na prorrogação a Argentina levantou o seu primeiro título com uma vitória por 3X1, com dois gols marcados por Mario Kempes (foto), que foi o artilheiro da Copa com seis gols.

Em 1982, na Espanha, com moral de campeã mundial e ainda com a estreia de Diego Maradona, a Argentina não repetiu a boa campanha da Copa de 78. Acabou ficando de fora na segunda fase, terminando com a décima primeira colocação.

No Mundial seguinte, no México, Maradona estava na sua melhor fase. Sob o seu comando a Argentina arrancou em busca de seu segundo título mundial. Outra vez eles ficaram no Grupo A junto com Itália, Coreia do Sul e Bulgária. A estreia foi contra a fraca Coreia do Sul e os sul-americanos venceram por 3X1. Na partida seguinte, eles apenas empataram contra a forte seleção italiana em 1X1. Encerrando a primeira fase, a Argentina derotou a Bulgária por 2X0 e se garantiu no primeiro lugar de seu grupo.

Nas oitavas de final, eles enfrentaram o rival Uruguai. A Argentina saiu com uma suada vitória por 1X0. Nas quartas, foi a vez de enfrentar um adversário bastante forte: a Inglaterra. Quatro anos antes argentinos e ingleses se enfrentaram em campo militar pela posse das Ilhas Fakland ou Malvinas. A guerra acabou sendo vencida pelos ingleses. Mas no México em 86, a luta seria em campo e esta se tornou uma das maiores partidas da história das Copas do Mundo, onde Maradona (foto), foi um único soldado derrotando um grande exército inglês.

A Argentina venceu esta partida por 2X1, com dois gols d'"El Pibe D'Oro". O primeiro gol foi uma verdadeira pintura, onde ele arrancou da intermediária, driblou todo o time da Inglaterra e quase que entra com bola e tudo. O segundo gol foi marcado descaradamente com a mão, mas não menos genial que outros gols marcados por ele. Após a partida ele apelidou este gol de "La Mano de Dios", que significa "A Mão de Deus".

Nas semis contra a Bélgica, Maradona deu o ar de sua graça novamente ao marcar os dois gols da vitória por 2X0. E na grande final contra a Alemanha, ele ficou sem marcar, mas mesmo assim a Argentina saiu vitoriosa por 3X2 e levantou a sua segunda Copa do Mundo.

No Mundial seguinte, em 1990, a Argentina entrou com moral para tentar o seu terceiro mundial. Logo na estreia foram surpreendidos por Camarões, perdendo por 1X0. Mas mesmo assim, conseguiram passar para as oitavas, enfrentando o Brasil e eliminando-o por 1X0. Eles chegaram à final, mas acabaram tendo que se conformar com o vice-campeonato por ter perdido a decisão para a Alemanha por 1X0.

Na Copa de 1994 a Argentina se envolveu no escândalo de doping. Os argentinos começaram arrasadores, num grupo relativamente fácil onde tinha Grécia, Nigéria e Bulgária. Após golearem a inexpressiva Grécia por 4X0, eles venceram a Nigéria por 2X1, mas acabaram perdendo para a Bulgária por 2X0, ficando em terceiro lugar da chave. Como a Argentina foi um dos melhores terceiros colocados, se classificaram para as oitavas e enfrentariam a Romênia. A Argentina se despediu da Copa após ser derrotada pela Romênia por 3X2 e acabou terminando em 11º lugar.

Em 1998, na França, os "hermanos" já sem Maradona, mas com Batistuta como líder da seleção, acabaram caindo nas quartas de final diante da Holanda, ficando com o sexto lugar. Em 2002, a Argentina pegou um grupo com Suécia, Inglaterra e Nigéria. A seleção argentina era apontada como uma das favoritas ao título, mas acabou caindo na fase de grupos e terminando em décimo oitavo. Em 2006, na Alemanha, foi eliminada pelo país-sede nos pênaltis, terminando assim em 6º.

Clique aqui e veja a campanha argentina pré-Copa 2010 (e uma homenagem a Lionel Messi) pelo "Futebol Música Etc"

Confira agora a final entre Argentina x Alemanha da Copa do Mundo de 1986


ATÉ QUE ENFIM:VETTEL VENCEU A PRIMEIRA DO ANO

on Comments: (2)



A temporada de 2010 da Fórmula 1 está cada vez mais emocionante: depois de largar na pole nas duas primeiras corridas e terminar sem vencer. Bastou para Sebastian Vettel da Red Bull largar em segundo e assumir a liderança logo na largada do GP da Malásia e sair com a vitória.O pódio ficou completo com Mark Webber, também da Red Bull em segundo e Nico Rosberg, da Mercedes GP em terceiro.

Felipe Massa, terminou em sétimo lugar e beneficiado pela quebra do carro de Fernando Alonso a duas voltas do final, passou a liderar o campeonato com 39 pontos. Rubens Barrichello, da Williams havia largado em oitavo, mas na largada teve problemas com a sua Williams e acabou perdendo muitas posições, ele terminou a prova em 13º. Bruno Senna e Lucas di Grassi também terminaram a prova pela primeira vez. Lucas ficou a três voltas do primeiro colocado e Bruno ficou a cinco.

A próxima corrida será daqui a duas semanas, dia 18 na China, no autódromo de Xangai.

Blogosfera na África 2010: Grupo A-México

on Comments: (0)


Fechando o Grupo A da primeira fase da Copa do Mundo, falaremos do México, uma das seleções mais presentes em mundiais. Das 18 edições, ficou fora apenas cinco vezes.


O primeira participação do México em Copas do Mundo foi em 1930, no Uruguai, foi um verdadeiro fracasso, saindo fora ainda na primeira fase e terminando apenas com o 13º e último lugar.


Os mexicanos ficaram de fora da Copa de 1934 e 1938. Em 34 eles nãose classificaram pelas Eliminatórias e em 38, apesar da desclassificação, acabaram abrindo mão do torneio, dando a vaga para Cuba.

O México voltou em 1950, mas tornou a fazer uma campannha pífia, ficou em 12º lugar numa Copa que contou com 13 seleções. Nesse mesmo Mundial, estreou Antonio Carbajal (foto), goleiro com o maior número de Copas disputadas, ele defendeu a seleção mexicana entre as Copas de 1950 e 1966. Em 1954, na Suíça, outra vez não passaram da primeira fase, ficou em décimo terceiro. Em 1958, ficou com a última colocação, 16º lugar, o seu pior desempenho em Mundiais. em 1962, eles enfrentaram o Brasil na fase de grupos e perderam por 4X0. Acabaram ficando em 11º. Em 1966 na Inglaterra, mais uma má campanha, sendo eliminado na primeira ronda e ficando com a décima segunda posição.


Em 1970, o pais foi a sede da Copa do Mundo e queria acabar de uma vez por todas a fama de "patinho feio" das Copas, pois sempre jamais havia passado da primeira fase. O México ficou no Grupo A junto com União Soviética, Bélgica e El Salvador. Na estreia, os mexicanos enfrentaram os soviéticos e empatarm em 0X0. No segundo jogo, eles enfrentarm os salvadorenhos e saíram vitoriosos com uma goleada por 4X0. No último jogo da primeira fase o México saiu com a vitória em cima dos belgas por apenas 1X0. Foi o suficiente para fazer a seleção tricolor passar para a sgunda fase. Nas quartas de final, o México enfrentou a Itália e acabou sendo derrotado por 4X1, ficando com o sexto lugar.

Os mexicanos ficaram de fora da Copa de 1974, mas voltariam a diputar um Mundial em 1978, na Argentina, mas o resultado foi desastroso. Eles voltaram a ser eliminados na primeira fase e ficaram com o 16º e último lugar. Em 1982 novamente os mariachis não deram as caras na Copa.


O México tornou a ser sede de uma Copa em 1986, a razão da escolha do país do sombrero como anfitriã foi a desistência da Colômbia que havia sido eleita anteriormente, o país sul-americano estava passando por gravíssimos problemas de segurança. Mesmo um ano depois de um terrremoto que destruiu a capital mexicana, eles arregaçaram as mangas e com ajuda financeira dos Estados Unidos, reconstruíram o país para o maior evento esportivo. A seleção nacional foi comandada pelo experiente Hugo Sánchez (foto), que na época jogava no Real Madrid. A campanha do país em sua segunda vez como sede foi melhor que a de 1970. Eles ficaram no Grupo B numa chave relativamente fácil com Paraguai, Iraque e Bélgica. Os chicanos estrearam contra a Bélgica e venceram por 2X1. Na segunda partida, contra o Paraguai, apenas ficaram no empate em 1X1. E fechando a fase de grupos, passaram pelos iraquianos:1X0. Nas oitavas de final o adversário foi a Bulgária. O México avançou de fase ao vencer os búlgaros por 2X0 e com um golaço de Negretti. Nas quartas de final, não conseguiram superar a forte seleção alemã, com alguma valentia, seguraram o 0X0 durante o tempo normal e a prorrogação, mas acabaram perdendo nos pênaltis por 4X1, repetindo o sexto lugar de 1970.

Em 1990 a seleção chegou a se classificar, mas foi descoberto que um jogador juvenil teve a idade adulterada e por isso a Federação Mexicana foi suspensa e perdeu a vaga para a Costa Rica. Em 1994, eles voltaram, desta vez com uma geração de novos jogadores. Ainda eram comandados por Sánchez, que estava em seu último Mundial, mas o México estava apresentando novos valores como:o goleiro Jorge Campos (foto), Luis Garcia, Luis Roberto (Zaguinho), Bernal, entre outros. A seleção mexicana havia sido vice-campeã da Copa América de 1993 e chegava aos EUA com moral, mas acabaram ficando pelo caminho nas oitavas de final, terminando em 13º. Em 1998, novamente caíram na segunda fase e repetiram a décima terceira posição.

Em 2002, na Coreia e no Japão, novamente a expectativa era grande, o grupo de 1994 estava se aposentando e estava sendo substituído por uma seleção mais jovem e mais talentosa. Outra vez os torcedores ficaram frustrados e acabaram vendo o México parar nas oitavas, em décimo-primeiro lugar, fazendo jus ao ditado referente a ela:"Jugamos como nunca, perdimos como siempre", que significa:"Jogamos como nunca, perdemos como sempre". Em 2006 na Alemanha, eles foram eliminados pela Argentina nas oitavas de final e acabaram no 15º posto.

Clique aqui e veja as últimas notícias da seleção Mexicana, bem como sua campanha pré-Copa no blog "Futebol Música Etc"

Confira agora a disputa de pênaltis entre México e Alemanha nas quartas de final da Copa do Mundo de 1986, no tempo normal e prorrogação o placar foi 0X0. Nos pênaltis, os alemães venceram por 4X1.


BANDA DO MÊS: THE PRETENDERS

on Comments: (0)


The Pretenders é uma banda de rock formada em Londres em 1978. A sua formação clássica era: Chrissie Hynde (vocal), James Honneyman-Scott (guitarra e teclado), Peter Farndon (baixo) e Martin Chambers (bateria). Curiosamente, Chissie é americana, no início dos anos 70 ela mudou-se para a Inglaterra para começar a carreira como cantora


Em 1980 foi gravado o primeiro álbum do grupo, chamado de "The Pretenders". Este disco contou com a música "Brass In The Pocket", que estourou nas paradas de sucesso e colocou os Pretenders como a banda revelação do ano. O grupo também alcançou a fama graças à belíssima voz de Hynde. No ano de 81, eles lançaram mais um grande sucesso: "Message Of Love".

No ano seguinte, em 1982 começaram os trabalhos de gravação do segundo disco, o "Pretenders II". O álbum foi novamente um grande sucesso com as músicas "The Adultress" e "Day After Day" sendo executadas nas rádios do mundo inteiro. Mas o grupo estava passando por problemas. Em junho de 82, Chrissie demitiu Peter Farndon por problemas com drogas. Dois dias depois ele foi encontrado morto, sua morte foi causada por uma overdose de cocaína.


Quase um ano depois, em abril de 1983 as drogas fazem mais uma vitima na banda, desta vez foi o guitarrista James Honneyman-Scott. Ele morreu de overdose de heroína e remédios.O grupo ficou devsatado, tendo apenas Chrissie e Chambers como componentes originais.


Para a gravação de "Back On The Chain Gang" em 1983, foram chamados o guitarrista Billy Bernmer e o baixista Tony Butler. Ainda em 83, outros dois sucessos foram gravados: "My City Was Gone", que foi uma crítica à poluição ambiental e "Middle Of The Road".


Em 1985 The Pretenders viriam para o Brasil para tocar na primeira edição do festival Rock In Rio. Mas Chrissie Hynde estava de licença maternidade e recusou o convite. Eles foram subatituídos pela banda The Go-Go's.No ano de 1986 foi gravado "Get Close", onde emplacou "Don't Get Me Wrong", um dos maiores sucessos da banda.


No final dos anos 80, finalmente os Pretenders vieram à terra-brasilis, tocaram no Hollywood Rock de 1988 e ainda voltariam em 1990. A vocalista Chrissie gostou tanto do país que comprou uma casa em São Paulo. Em 1993 foi gravado o álbum "Last Of Independents", onde teve enorme repercussão com a regravação de "I'm Not in Love", gravado originalmente pelo grupo 10cc em 1976 e a balada "I'll Stand By You", uma das mais belas baladas do rock.


Em 2005 eles entraram para o Hall da Fama do Rock e em 2008 foi gravado seu mais recente álbum de estúdio, o "Break Up The Concrete", onde investiram forte no rockabilly.